InícioEditorialPolítica NacionalHaddad pede compromisso ao Congresso para votar tributária em 2024

Haddad pede compromisso ao Congresso para votar tributária em 2024

O ministro da Fazenda foi à Residência Oficial do presidente do Senado nesta 4ª feira (24.abr) para enviar o projeto de regulamentação da reforma

Pacheco (esq.) recebeu de Haddad (dir.) o texto principal da regulamentação Sérgio Lima/Poder360 – 24.abr.2024

Gabriel Benevides 24.abr.2024 (quarta-feira) – 20h37

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, voltou a manifestar nesta 4ª feira (24.abr.2024) sua vontade de votar a regulamentação da reforma tributária ainda em 2024. O titular da equipe econômica falou em firmar um compromisso com o Congresso para que o tema seja finalizado no Senado ainda no 2º semestre deste ano. 

“No 2º semestre, com as eleições, que dificultam os trabalhos, [queremos] poder aprovar no Senado e levar à sanção. É muito importante que esse compromisso seja firmado, como aconteceu ano passado”, declarou o ministro a jornalistas. 

Haddad falou na Residência Oficial do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG). O ministro entregou para ele o projeto principal de regulamentação da reforma. 

“Não posso deixar de agradecer mais uma vez, sempre, pela hospitalidade que nos recebe aqui […] Somos muito bem recebidos com todas as demandas da Fazenda, que tem um tratamento muito especial por parte do Senado Federal. A agenda está avançando”, disse o ministro sobre Pacheco. 

Mais uma vez, o ministro elogiou a reforma e disse que o texto terá uma formatação simples que facilitará as negociações e votações com os congressistas. 

“No meu entendimento, vai ficar fácil para os leitores identificar as questões políticas mais delicadas que vão à deliberação nas duas casas. Mas eu penso que vai facilitar muito a tramitação“, afirmou. 

Segundo ele, o secretário extraordinário da reforma tributária, Bernard Appy, vai atuar no Legislativo para fomentar as negociações.

“[O texto] vai para um nível de detalhe diferente da Emenda Constitucional. Você tem que ir detalhando e classificando os produtos de acordo com a interpretação do constituinte, que elaborou a emenda constitucional, justamente para que a gente possa seguir à frente até o momento que a reforma entrar em operação”, disse Haddad.

A REGULAMENTAÇÃO A regulamentação da tributária foi entregue com atraso. Esperava-se que os projetos de lei complementar fossem enviados ao Legislativo até 15 de abril.

Haddad viajou para Washington, nos Estados Unidos, para uma reunião do G20, o grupo das 20 maiores economias do mundo. A equipe econômica dizia que os textos estariam com os deputados mesmo com a viagem, o que não foi feito.

Segundo apurou o Poder360, quando o envio ainda era estimado para 15 de abril, a percepção da Fazenda era de que não era o perfil de Haddad entregar os textos pessoalmente. O próprio ministro dizia que os projetos poderiam ser encaminhados mesmo durante a sua viagem.

Serão 3 textos: 2 projetos de lei complementar e 1 projeto de lei ordinária.

Os complementares vão tratar sobre:

as especificações comuns ao IBS (Imposto sobre Bens e Serviços) e à CBS (Contribuição sobre Bens e Serviços) – terá as definições de todos os regimes específicos e diferenciados dos tributos federais, dos Estados e dos municípios. Fala também sobre o imposto seletivo; as especificações somente do IBS – definirá a formatação do comitê gestor do tributo. Aborda a transição do atual ICMS (Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços) para a nova alíquota. Só o 1º documento está nas mãos do Congresso nesta 4ª feira (24.abr) ou nos dias que seguirão. Deverá ter cerca de 300 páginas com 500 artigos.

Já o 3º texto –em formato de lei ordinária– deve detalhar como será feita a transferência de recursos para o Fundo de Desenvolvimento Regional como compensação dos benefícios fiscais. Também fica para um 2º momento. 

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Durante tensão diplomática, Milei diz que viajará à Espanha

Presidente da Argentina pretende ir ao país europeu em 21 de junho para receber...

Vídeo: após TSE rejeitar cassação, Moro diz que julgamento foi técnico

VINÍCIUS SCHMIDT/METRÓPOLES 1 de 1 Imagem colorida do Senador Sérgio Moro (União-PR) deixa gabinete...

Na presidência do G20, Brasil quer menos burocracia nos fundos verdes

A desburocratização do acesso aos quatro principais fundos internacionais voltados para o financiamento de...

Companhias aéreas anunciam voos em Canoas como alternativa a Porto Alegre

As companhias aéreas Azul e Latam anunciaram a oferta de voos com origem ou...

Mais para você