InícioEditorialPolítica NacionalIntegrantes da AGU vão a Maceió para tratar sobre mina da Braskem

Integrantes da AGU vão a Maceió para tratar sobre mina da Braskem

Representantes do órgão se reuniram para debater medidas reparatórias à sociedade e ao meio ambiente por parte da empresa

Na imagem, bairro Mutange, em Maceió (AL), local afetado pela exploração de sal-gema feita pela Braskem Ufal (Universidade Federal de Alagoas)

PODER360 12.dez.2023 (terça-feira) – 22h41

Representantes da AGU (Advocacia Geral da União), do MPF (Ministério Público Federal), do MP-AL (Ministério Público do Estado do Alagoas) e da DPU (Defensoria Pública da União) se reuniram em Maceió para tratar das medidas reparatórias à sociedade e ao meio ambiente por parte da Braskem. A mina 18 da mineradora, localizada no bairro Mutange, se rompeu no domingo (10.dez). A área sofre com um afundamento do solo em decorrência da exploração de sal-gema.

A reunião com os integrantes dos órgãos públicos se deu nesta 3ª feira (12.dez.2023). A AGU afirmou que a União irá tomar as providências necessárias para a reparação aos danos causados ao patrimônio e buscará ressarcimento dos valores já gastos em resposta à tragédia. Eis a íntegra do comunicado do órgão (PDF – 2 MB).

O advogado-geral da União adjunto, Junior Fideles, disse querer “entender os acordos já firmados e, a partir dessa realidade, colaborar para que se tenha uma reparação efetiva e integral dos danos”. 

Também nesta 3ª feira (12.dez), a equipe da AGU fez um sobrevoo de helicóptero sobre a área afetada pela mina 18 da Braskem para ter dimensão do afundamento do solo. 

Na 4ª feira (13.dez), os representantes do órgão irão se reunir com o prefeito de Maceió, João Henrique Caldas, o JHC (PL), e com representantes da DP-AL (Defensoria Pública do Estado de Alagoas). Na 5ª feira (14.dez) é previsto um encontro com o governador de Alagoas, Paulo Dantas (MDB).

ENTENDA O CASO Em 1º de dezembro, o governo federal decretou emergência na cidade de Maceió por causa do afundamento do solo em bairros da cidade.  Ao todo, o desastre ambiental afetou aproximadamente 55.000 pessoas –que foram realocadas– e 14.000 imóveis, todos desocupados.

O afundamento e o aparecimento de rachaduras no solo foram registrados em 5 bairros da capital alagoana: Pinheiro, Mutange, Bebedouro, Bom Parto e Farol.

O problema, entretanto, não é recente. Em março de 2018, moradores do bairro Pinheiro relataram tremores e rachaduras no solo. Os mesmos relatos se repetiram em outros 4 bairros da capital alagoana.

Desde 1976, a empresa atua na região com autorização do poder público. Ao todo, a Braskem perfurou 35 poços nas proximidades da lagoa Mundaú, mas só 4 estavam em funcionamento em 2018.

A partir dos relatos, 54 especialistas do SGB (Serviço Geológico do Brasil) realizaram estudos técnicos na região. Depois de 1 ano, em 2019, foi concluído que as rachaduras e tremores tinham relação com a extração de minérios realizada pela Braskem. As licenças ambientais foram suspensas e, em novembro de 2019, a companhia informou o encerramento das atividades no local. A partir disso, foi iniciado o tapeamento dos poços e a realocação dos moradores da região por meio do “Programa de Compensação Financeira”, firmado entre a Braskem e órgãos públicos.

Em 20 de julho de 2023, a empresa firmou com a prefeitura do município alagoano um acordo que assegurava à cidade a indenização de R$ 1,7 bilhão. Segundo nota divulgada pela prefeitura à época, os recursos seriam destinados à realização de obras estruturantes e à criação do FAM (Fundo de Amparo aos Moradores). Eis a íntegra do acordo (PDF – 2 MB).

O Poder360 elaborou um infográfico com uma linha do tempo dos acontecimentos que envolvem o caso. Leia abaixo.

Leia mais sobre: 

Planalto vê CPI da Braskem como risco e quer adiar para 2024 Instalação da CPI da Braskem é adiada para 4ª feira Apesar da resistência, PT indica integrantes da CPI da Braskem Lula faz 1ª reunião com políticos de Alagoas para discutir Braskem Lula pediu para deixar política de lado em Maceió, diz Rui Governo de Alagoas quer transformar área da Braskem em parque Salários da cúpula da Braskem sobem 44% apesar de prejuízo bilionário Mina da Braskem se rompe na Lagoa Mundaú, em Maceió; assista Não há anormalidade em outras minas, diz Defesa Civil de Maceió

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Segmento de alimentação abre oportunidades às empresas no Ceará

Saúde, bem-estar e inovação também impulsionam empreendedores no Estado, segundo o Sebrae No Ceará,...

Sete anos após Joesley delatar, Lula vai à JBS e critica a “mentira”

Lula visitou nessa sexta-feira uma indústria de processamento de carne da JBS, elogiou os...

O candidato de Lula a presidente da Câmara não será o de Arthur Lira

A fala original de Ulysses Guimarães, presidente do MDB, da Câmara dos Deputados e...

Atletas olímpicos “convocam” a população para votar nas Eleições 2024

No ano em que o mundo voltará os olhos para os Jogos Olímpicos de...

Mais para você