InícioEditorialPolítica NacionalLira diz que precisa do governo para aprovar reforma administrativa e confirma...

Lira diz que precisa do governo para aprovar reforma administrativa e confirma desoneração para hoje

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), afirmou que precisa do apoio do governo para avançar com a reforma administrativa na Câmara dos Deputados. Em um evento para debater o tema convocado pela Frente Parlamentar de Comércio e Serviços (FCS), o deputado alagoano disse que espera uma discussão sem “tensionamento ideológico” sobre o tema e afirmou que a matéria faz parte de um pacote de medidas importantes para o país e não de determinados grupos políticos. “Nós precisamos do governo para aprovação dessa PEC. É uma matéria que tem seu cunho de representatividade muito forte no campo da esquerda progressista. É importante que todos participem sem nenhum tipo de preconceito para que o tema seja tratado com a naturalidade e a necessidade que ele exige”, disse o presidente da Câmara.

Lira ainda falou sobre o projeto de desoneração da folha que está na pauta da Câmara dos Deputados nesta quarta-feira, 30. Segundo o presidente legislativo, os municípios sofrem com problemas de arrecadação e precisam ser socorridos. Lira ainda questionou as alterações feitas pelo Senado. O deputado comentou que o projeto foi aprovado na Casa Alta na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) e enviado diretamente à Câmara dos Deputados.

“A preocupação do Senado é pauta dos municípios é sobre resolver para municípios pobres ou com piores IDHs ou com dificuldades populacionais ou que vivam de repasses federais a questão da previdência, mas a gente tem que olhar com responsabilidade porque aprovamos uma PEC da Previdência que tem regras para suas modificações. Tem que ter cuidado para observar se essa alteração do Senado é constitucional, se atende, se não atende, se é a maneira ideal de resolver esse problema. A Câmara se sente sempre muito pressionada”, disse Arthur Lira, que ainda citou que a cobrança com os deputados sobre o tema é muito maior do que os questionamentos com os senadores. “A cobrança que está sendo hoje em cima da Câmara não teve no Senado. Esse projeto foi votado lá e não teve questionamento, perguntas, provocações, nem sequer recurso para o plenário. O texto foi votado em uma comissão terminativa no Senado e, com todo o respeito, merece toda a nossa atenção”, complementou.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Ao vivo: Autoridades participam de seminário da Esfera Brasil

Campos Neto, Paul Prates e Rodrigo Pacheco são alguns dos participantes do “Seminário Brasil...

Registro de conflitos no campo batem recorde no primeiro ano sob Lula, aponta relatório

Foto: Ricardo Stuckert/Divulgação O presidente Lula 22 de abril de 2024 | 09:10 ...

Veículo de ex-vereador pega fogo em Itamaraju

Moradores do bairro URBIS III, auxiliaram um ex-vereador, a conter o princípio de incêndio...

Fernanda Montenegro aciona a Justiça para provar ao INSS que está viva

Aos 94 anos, Fernanda Montenegro está em uma batalha judicial contra o INSS (Instituto...

Mais para você