InícioNotíciasPolíticaLula acerta duplamente ao buscar protagonismo na segurança pública

Lula acerta duplamente ao buscar protagonismo na segurança pública

O governo Lula acerta ao implementar medidas para tentar fechar o cerco ao crime organizado, sobretudo ao tráfico de drogas e à milícia. Do ponto de vista de política pública, é uma necessidade. Já no aspecto eleitoral, representa o avanço numa temática dominada pela direita.

A postura mais efetiva do governo federal na área da segurança, contudo, não foi unanimidade no entorno de Lula. Houve quem temesse que o Planalto avocasse para si uma responsabilidade que, na visão de parte da população, é atribuição dos governos estaduais.

Foi o próprio Lula, contudo, quem determinou ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, que viajasse para estados conflagrados. Dino focou na Bahia; o secretário-executivo da pasta, Ricardo Cappelli, no Rio de Janeiro. A Polícia Federal intensificou operações e já prendeu milicianos e policiais corruptos na capital fluminense.

Nesta quarta-feira, Lula anunciou o emprego das Forças Armadas, por meio da Garantia da Lei e da Ordem (GLO), em cinco estados. A ideia só avançou após Dino argumentar que a GLO não precisa, necessariamente, ser implementada no estado inteiro [algo que Lula não queria de jeito nenhum]. A medida pode ser segmentada.

Pela GLO que será estabelecida, militares só atuarão em locais onde a atribuição já é da União, como portos, aeroportos e fronteiras. No caso da Marinha, a Garantia da Lei e da Ordem se fez necessária para que ela possa atuar em solo, e não apenas na água.

Reaproximação de Lula com militares A implementação da GLO é vista no governo, também, como uma “demonstração de confiança” de Lula nas Forças Armadas. Um passo importante na reaproximação entre ambos após a passagem de Bolsonaro pela Presidência e o 8 de Janeiro.

Só o tempo medirá o sucesso ou o fracasso da GLO. Mas a busca por protagonismo na segurança pública, exemplificada, por exemplo, no recorde da PF na apreensão de bens e valores de organizações criminosas, dará importante munição a Lula em 2026.

Afinal, o adversário do presidente no campo conservador, seja ele quem for, terá forte identificação com o tema, como nos casos de Tarcísio de Freitas e Ronaldo Caiado.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Sarney reúne do governo à oposição para comemorar 94 anos

Ex-presidente recebeu convidados em sua casa para festa de aniversário em Brasília e mostrou...

Cartões de confirmação do CNU, com locais de prova, saem nesta quinta

O governo federal disponibiliza, a partir das 10h desta quinta-feira (25/4), o cartão de...

Apostas em corte de 0,25 ponto percentual da Selic batem novo recorde

As apostas dos investidores num corte de 0,25 ponto percentual da taxa básica de...

Mais para você