InícioNotíciasPolíticaLula discute combate ao crime na Amazônia com presidente da Colômbia

Lula discute combate ao crime na Amazônia com presidente da Colômbia

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se reuniu, na manhã desta quarta-feira (31/5), com o presidente da Colômbia, Gustavo Petro. No encontro, de cerca de duas horas, os líderes repercutiram as questões levantadas na reunião sul-americana, além de outras agendas ligadas à política regional e proteção da Amazônia.

Petro desembarcou no Brasil no início desta semana, para participar da Cúpula de presidentes da América do Sul, que ocorreu nessa terça-feira (30/5), no Palácio do Itamaraty. Além do colombiano, Lula teve agendas bilaterais com o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, e com o chefe de Estado da Argentina, Alberto Fernández.

Petro confirmou que voltará ao Brasil para a reunião dos países amazônicos em Belém, no mês de agosto. Lula, por sua vez, lembrou que os dois também se encontrarão no Fórum de debates científicos sobre a Amazônia em Letícia, cidade na fronteira com a Colômbia, em julho.

Os presidentes também conversaram sobre a necessidade de mobilizar esforços conjuntos contra delitos ambientais e o crime organizado na região, combatendo madeireiros, atividade garimpeira ilegal, grileiros e narcotraficantes. Petro também informou a Lula que o Brasil será homenageado na Feira do Livro de Bogotá de 2024.

A agenda, no entanto, precisou ser interrompida para a conversa por telefone agendada entre o mandatário brasileiro e o papa Francisco.

Lula registrou o encontro nas redes sociais.

Veja:

Com o presidente da Colômbia, @petrogustavo. Falamos sobre os encontros futuros que teremos para debater a região amazônica. Em julho, estarei em Letícia, na fronteira entre nossos países, e o presidente Petro confirmou sua vinda para a reunião entre países amazônicos em Belém,… pic.twitter.com/zce4corB4n

— Lula (@LulaOficial) May 31, 2023

Cúpula sul-americana Lula foi anfitrião de um encontro de cúpula nesta terça (30/5) que recebeu outros 10 chefes de Estado em Brasília e falou de metas ambiciosas, como a criação de moeda para o continente negociar com o resto do mundo. No entanto, a presença de Nicolás Maduro e a defesa pública que o petista fez do mandatário venezuelano se tornaram o assunto principal e fonte de desacordo entre líderes vizinhos.

Um dia antes da cúpula dos chefes de Estado, na segunda (29/5), Lula recebeu Maduro para um encontro bilateral no Palácio do Planalto e minimizou as denúncias de violação dos direitos humanos na Venezuela. Para o presidente brasileiro, Maduro e seu regime seriam vítimas de uma “narrativa” sobre ausência de democracia.

A defesa aberta de Lula ao venezuelano incomodou parte dos presidentes convidados para o encontro do dia seguinte. A voz mais dura a se levantar contra o discurso do brasileiro foi a do mandatário do Uruguai, Luis Lacalle Pou, que transmitiu pelo Instagram as críticas a Lula feitas em reunião fechada no Palácio Itamaraty, sede do Ministério das Relações Exteriores do Brasil.

Lacalle Pou não chegou a citar o nome de Lula, mas disse que ficou “surpreso quando se falou que o que acontece na Venezuela é uma narrativa”.

O outro presidente a levantar a voz contra a fala de Lula, porém, é de esquerda, como o brasileiro: o chileno Gabriel Boric. Na mesma reunião que tinha apenas os chefes de Estado do continente, Boric afirmou que é “impossível fazer vista grossa para as violações de direitos humanos na Venezuela”.

As falas de Lacalle Pou e Boric fizeram pesar o clima na reunião e esfriaram a ideia de Lula de reviver um organismo multilateral entre os países sul-americanos, como foi a Unasul, vigente em seus mandatos anteriores e sepultada definitivamente na gestão de Jair Bolsonaro (PL).

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Entenda a negociação entre Brasil e Paraguai sobre Itaipu

Governos dos 2 países discutem tarifas de 2024 e revisão do chamado anexo C...

Mendonça dá 60 dias para empresas renegociarem acordos com Lava Jato

O ministro André Mendonça, do Supremo Tribunal Federal (STF), deu prazo de 60 dias...

Moraes derruba decisões de Receita e Carf contra Globo e atores

Depois de decisões favoráveis do ministro Cristiano Zanin e da Primeira Turma do STF,...

Canadá propõe regras para atuação de plataformas digitais

A Lei de Danos On-line foi apresentada ao Parlamento pelo governo de Justin Trudeau;...

Mais para você