InícioEditorialPolítica NacionalMarisa Monte pede ao TSE veto ao uso de paródias não autorizadas

Marisa Monte pede ao TSE veto ao uso de paródias não autorizadas

Cantora participou de audiência pública que discutiu normas para propagandas eleitorais nas eleições de outubro

Cantora participou do 3º e último dia de audiências públicas na Corte Eleitoral; mais de 80 pessoas manifestaram suas sugestões no plenário Divulgação/Instagram

PODER360 26.jan.2024 (sexta-feira) – 13h32

A cantora e compositora Marisa Monte participou na 5ª feira (25.jan.2024) da audiência pública realizada pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para as eleições municipais de outubro. A cantora se manifestou contra o uso de paródias ou jingles por candidatos sem a autorização dos artistas e pediu uma regulamentação da Corte Eleitoral sobre o tema.

Segundo Marisa, é uma “tortura moral” a possibilidade de que candidatos que não têm afinidade com seu trabalho e posicionamento político usem suas canções durante a campanha.

“Não tem como dissociar o direito do uso da minha criação da minha pessoa. Então eu, por exemplo, poderia passar por uma situação em que um candidato que não tenho a menor afinidade conceitual e nem de valores pegar uma música minha e travesti-la de paródia para que pudesse utilizar em uma campanha. Isso para mim é uma tortura moral e psicológica e eu venho aqui expressar essa preocupação”, declarou a cantora que participou por videoconferência da audiência no TSE.

A artista pediu que a Corte Eleitoral passe a vetar o uso de paródias musicais quando não autorizado pelo artista. A prática é comum em todas as eleições.

“Tenho 35 anos de carreira, nunca declarei um voto, nunca apoiei publicamente um candidato, faço questão de deixar sempre claro meus valores, é a forma de informar meu público quanto às minhas preferências. Me sinto violentada com a possibilidade de ter a minha obra utilizada compulsoriamente, adulterada, ainda mais com todas as possibilidades que a inteligência artificial vai trazer“, finalizou.

Assista à declaração de Marisa Monte [4min21s]:

Além de Marisa, participou da audiência Paula Lavigne, mulher de Caetano Veloso. Ela sugeriu que o TSE estabeleça as normas sobre participação de artistas em eventos de arrecadação de recursos para candidatos.

A Corte Eleitoral iniciou na última 3ª feira (23.jan.2024) as audiências públicas para as eleições municipais. O objetivo é receber sugestões para aperfeiçoar as diretrizes do próximo pleito. A vice-presidente do TSE, ministra Cármen Lúcia, foi a relatora das propostas. Ela será a presidente do Tribunal durante as eleições municipais depois da saída do atual presidente, ministro Alexandre de Moraes, que deixa o TSE em agosto. O 1º turno será realizado em 6 de outubro.

Ao todo, o TSE recebeu 945 propostas enviadas por partidos políticos e entidades sobre as minutas de resolução que definirão regras para as eleições municipais. A maioria das contribuições são voltadas a regras sobre propaganda eleitoral, normas gerais e prestação de contas.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Nikki Haley vence primárias republicanas na capital dos EUA

Conquista no distrito de Columbia é a 1ª da ex-representante do país na ONU...

Equipe de Pitel rebate acusações de ex-mulher de Lucas, Camila Moura

Após a ex-mulher de Lucas Henrique, o Buda, soltar o verbo nas redes sociais...

Quem é o brasileiro suspeito de planejar ataques a judeus no DF

Goiânia – Investigações conduzidas pela Polícia Federal (PF) descobriram que o grupo terrorista libanês Hezbollah recrutou brasileiros para ataques...

Mais para você