InícioEditorialPolítica NacionalMera formalidade, prévias nos EUA indicam Biden e Trump candidatos

Mera formalidade, prévias nos EUA indicam Biden e Trump candidatos

Primárias eleitorais nos Estados e territórios norte-americanos chegou ao fim neste domingo (9.jun); não havia adversários desde março

Ambos os candidatos já conquistaram o número de votos mínimo de delegados Gage Skidmore e Tia Dufour/White House

PODER360 9.jun.2024 (domingo) – 14h00

Chegou ao fim no sábado (8.jun.2024) as prévias eleitorais para a disputa presidencial dos Estados Unidos. Tradicional no calendário eleitoral norte-americano, o processo foi uma merda formalidade do início ao fim. Desde março, o presidente Joe Biden e seu antecessor, Donald Trump, sequer tinham adversários reais na corrida à Casa Branca.

As prévias democratas já começaram encaminhadas. Isso porque é comum nos EUA que o atual presidente seja reconduzido por seu partido para disputar a reeleição. Com Biden não foi diferente. O democrata venceu as primárias nos 50 Estados. Perdeu apenas na Samoa Americana, território ultramarino norte-americano na Oceania –e irrelevante na disputa.

A vida de Trump era um pouco (bem pouco) mais difícil. No início da campanha, tinha no retrovisor o popular governador da Flórida, o jovem Ron DeSantis, tido como o futuro do partido e uma alternativa à fiel ala trumpista. Depois, a ex-embaixadora na ONU Nikki Haley ascendeu como principal concorrente. Chegou a vencer as prévias em Vermont e em Washington D.C. E parou aí.

Haley desistiu da corrida depois da Super Tuesday (ou Super 3ª, dia mais importante das prévias com inúmeros Estados em jogo). Antes dela, DeSantis havia abandonado o barco. O trumpismo se mostrou imbatível internamente. Nem mesmo a possível condenação (agora já confirmada) do ex-presidente no caso de fraude comercial foi uma ameaça.

O sistema das prévias foi criado para que os 2 principais partidos dos EUA, o Democrata e o Republicano, indicassem seus candidatos para uma disputa 1 X 1 pela Casa Branca. A eleição é indireta e tem um formato similar à eleição presidencial. Casa Estado indica um número de delegados proporcional à votação popular nos 50 Estados e nos territórios. Ganha quem obtiver a maioria.

Biden venceu 3.872 dos 3.934 delegados disponíveis no embate democrata. Já Trump obteve 2.231 dos 2.429.

O último passo para formalizar o democrata de 81 anos e o republicano de 77 anos são as convenções partidárias. É mais uma formalidade. Biden e Trump serão os candidatos em 5 de novembro.

A Convenção Nacional Democrata está marcada para 19 a 22 de agosto, em Chicago. A Republicana será de 15 a 18 de julho, em Milwaukee.

Antes do evento republicano, contudo, sai a sentença de Donald Trump no caso de fraude comercial cometido durante a campanha eleitoral de 2016. O ex-presidente foi considerado culpas nas 34 acusações pelo Tribunal de Manhattan. A condenação pode ser de 4 anos para cada artigo. Contudo, Trump pode receber liberdade condicional.

Mesmo preso, o adversário de Joe Biden poderá concorrer. A Constituição dos Estados Unidos não veta essa possibilidade. E se eleito? Ainda não há resposta. A Justiça não tem dispositivo para impedir a posse, mas é um cenário ainda não testado.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Em 4 anos, rotas de integração vão ligar o Brasil à Ásia, diz Tebet

Ministra apresenta a Rota Quadrante Rondon, 1 das 5 Rotas de Integração Sul-Americana; o...

Coletiva de imprensa para apresentação do 11º Festival Gastronômico ocorreu nesta sexta (21)

A Prefeitura Municipal de Teixeira de Freitas promoveu nesta sexta-feira (21) uma coletiva de...

Wanessa Camargo homenageia Chrystian: “Trajetória linda e inspiradora”

Wanessa Camargo usou as redes sociais para prestar uma última homenagem ao cantor Chrystian....

Tarcísio diz que vice “agrega” e Nunes nega que ex-Rota seja radical

São Paulo – Em meio à novela em torno da escolha do Coronel Ricardo...

Mais para você