InícioEditorialPolítica NacionalMilitares “fizeram papelão” no TSE em 2022, afirma Barroso

Militares “fizeram papelão” no TSE em 2022, afirma Barroso

Magistrado diz que os militares “foram induzidos por uma má liderança a ficarem levantando suspeitas falsas” contra o processo eleitoral

O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Luís Roberto Barroso (foto), diz que os militares “foram manipulados e arremeçados na política por más lideranças” Carlos Moura/STF – 3.out.2023

PODER360 5.mar.2024 (terça-feira) – 3h48

O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Luís Roberto Barroso, disse na 2ª feira (4.mar.2024) que as Forças Armadas foram politizadas por terem sofrido com uma má liderança. Segundo ele, elas fizeram, antes das eleições de 2022, “um papelão” em comissão no TSE (Tribunal Superior Eleitoral). 

Barroso participou em evento promovido pela Faculdade de Direito da PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo), chamado “Brasil Pra Quem? A democracia inclusiva como norte do direito nacional”. Em sua fala, disse que a “politização das Forças Armadas” talvez “tenha sido das coisas mais dramáticas para a democracia”. 

Sem citar o nome do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), Barroso elencou os problemas enfrentados pelo Brasil nos últimos anos, até chegar na politização das forças armadas. 

“Nós tivemos, aqui, entre nós, o esvaziamento dos organismos da sociedade que participavam da organização de políticas públicas. O desmonte dos órgãos de proteção ambiental ou de proteção das comunidades indígenas. A não demarcação das terras indígenas, nem um milímetro. O negacionismo durante a pandemia –o Brasil tem menos de 2% da população mundial e teve quase 10% das mortes, por uma má gestão da pandemia. A paralisação do Fundo Amazônia e a paralisação do Fundo Clima, o dinheiro ficou parado na conta, um anti-ambientalismo que preferia a inércia a fazer alguma coisa. Nada do que eu estou falando é uma opinião minha. Tudo o que estou falando são fatos objetivos, que juízo não tem de ter opinião política”,  disse Barroso.

“[Houve] Falsas acusações de fraude no processo eleitoral. Eu mesmo era presidente do TSE. ‘Eu tenho prova de que tem frande’. Beleza, intimado para apresentar as provas. Era mentira, tinha prova nenhuma. Politização das Forças Armadas, o que talvez tenha sido das coisas mais dramáticas para a democracia. Porque, desde 1988, as Forças Armadas tiveram um comportamento exemplar no Brasil, de não ingerência, de não interferência, de cumprir as suas missões constitucionais, de ocupar espaços remotos da vida brasileira, inóspitos. Gente que leva uma vida dura. Eu tenho o maior respeito”, continuou. 

“Porém, [os militares] foram manipulados e arremeçados na política por más lideranças. Fizeram um papelão no TSE. Convidados para ajudar na segurança e na transparência, foram induzidos por uma má liderança a ficarem levantando suspeitas falsas, quando a lealdade é um valor que se ensina nas Forças Armadas. [Houve] Deslealdade. Portanto, foram momentos muito difíceis que nós vivemos no Brasil”, completou. 

Assista (de 1h41min15s a 1h42min30s): 

Essa não é a 1ª vez que Barroso fala da atuação dos militares nas eleições de 2022. Em 21 de fevereiro, ele já havia dito que as Forças Armadas foram “manipuladas para levantar desconfianças e suspeitas infundadas” quanto ao processo eleitoral.

“Eu montei uma Comissão de Transparência porque nós não tínhamos nada a esconder e chamei diversos segmentos representativos da sociedade. (…) Chamei as Forças Armadas e, preciso dizer, lamentando muito, que tiveram um comportamento bastante decepcionante”, afirmou o magistrado na época.

Segundo Barroso, os militares convidados “se comportaram mal”, por terem “tentado levantar suspeitas”. O que, para o ministro, é prova “de que uma má liderança faz muito mal para uma instituição”.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Reforma tributária assegura isenção para taxistas e motoristas de Uber

Profissionais poderão comprar carros com alíquota zero; a regulamentação também beneficia frutas, ovos e...

Jorge Solla completa lista tríplice para relatar cassação de Brazão

Foto: Lula Marques/ Agência Brasil Jorge Solla (BA) substitui a deputada Rosângela Reis...

Mãe que ameaçou professora deu “carteirada” citando Nikolas Ferreira

A mãe que ameaçou uma professora do Distrito Federal e a acusou de “doutrinar”...

Sarney reúne do governo à oposição para comemorar 94 anos

Ex-presidente recebeu convidados em sua casa para festa de aniversário em Brasília e mostrou...

Mais para você