InícioEditorialPolítica NacionalMoraes determina que Anderson Torres preste depoimento ao TSE

Moraes determina que Anderson Torres preste depoimento ao TSE

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou que o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, deponha ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A decisão desta sexta-feira, 10, acontece um dia após o Tribunal Eleitoral pedir autorização ao magistrado para ouvir Torres a respeito da minuta que previa intervenção na Justiça Eleitoral, encontrada em operação de busca e apreensão realizada pela Polícia Federal em sua residência. O objetivo é ouvir o ex-ministro sobre o documento e sobre sua participação em live em que o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) realizou com 40 embaixadores no Palácio da Alvorada e questionou a higidez das urnas eletrônicas, em julho de 2021. Na transmissão, o ex-mandatário alegava fraudes no sistema eleitoral e contestava a auditabilidade das urnas eletrônicas. “Estavam presentes, e participaram com falas, Anderson Gustavo Torres, Ministro da Justiça e Segurança Pública, e Eduardo Gomes da Silva, assessor da Presidência da República”, diz o corregedor-geral da Justiça Federal, Benedito Gonçalves.

A expectativa é que o depoimento de Anderson Torres aconteça na próxima quinta-feira, 16, às 10h, por videoconferência. Moraes determinou, no entanto, que o ex-ministro seja ouvido na condição de testemunha e tenha assegurado o direito ao silêncio. “E a garantia de não autoincriminação, se instado a responder a perguntas cujas respostas possam resultar em seu prejuízo”, define o ministro. Também podem ser realizados os depoimentos do coronel Eduardo Gomes da Silva e os servidores da Polícia Federal Ivo de Carvalho Peixinho e Mateus de Castro Polastro. O trio foi citado por suposta influência e participação na reunião de Bolsonaro com os embaixadores. Em fase se coletas de provas, a ação no TSE já ouviu os ex-ministro Ciro Nogueira (PP-PI), que ocupou a Casa Civil; e Carlos França; que comandou o Itamaraty. Como a Jovem Pan mostrou, Bolsonaro é acusado de abuso de poder político e uso indevido dos meios de comunicação pelo encontro com os diplomatas. Em fevereiro, o TSE aprovou, por unanimidade, a inclusão do documento encontrado na residência de Torres na investigação que corre contra o ex-presidente.

 

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Documentos secretos revelam que ditadura expulsou diplomatas gays

Um novo relatório secreto chegou à mesa do ministro José de Magalhães Pinto, em...

Janja brinca com militar, entrega cadela Resistência e a pede de volta

Primeira-dama fez graça durante envio de ração para pets ao Rio Grande do Sul;...

Leo Santana lota Anhangabaú na abertura da Virada Cultural de SP

São Paulo — O começo do show atrasou mais de uma hora e o...

Anac autoriza voos comerciais na Base Aérea de Canoas

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) autorizou a operação de voos comerciais na...

Mais para você