InícioEditorialPolítica NacionalMTST posta imagem de Jesus crucificado com frase sobre bandido

MTST posta imagem de Jesus crucificado com frase sobre bandido

Postagem no X (ex-Twitter) mostra soldados romanos dizendo que “bandido bom é bandido morto”; publicação, vista como crítica social pela esquerda, recebeu comentários negativos

Acima, a imagem publicada no perfil do MTST; enquanto alguns internautas defenderam o posicionamento, outros criticaram Reprodução/X @mtst – 29.mar.2024

PODER360 29.mar.2024 (sexta-feira) – 22h39

O MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto) publicou uma imagem em seu perfil no X (ex-Twitter) nesta 6ª feira (29.mar.2023) onde Jesus Cristo aparece sendo crucificado com a frase “bandido bom é bandido morto”.

A publicação recebeu repúdio por parte de políticos e influenciadores alinhados à direita. Por alguns da esquerda, foi vista como uma crítica social que lembra ações policiais recentes e frases frequentemente ditas por nomes de ideologia oposta.

O senador e presidente do PP, Ciro Nogueira (PI), foi um dos que criticaram a publicação. “Usar a imagem de Jesus, em plena Páscoa, para compará-lo com um ‘bandido’ e, assim, reprovar as abordagens violentas que todos condenamos, não só é falta de respeito”, afirmou o congressista em seu perfil na rede social. 

Na publicação, Ciro Nogueira também criticou o deputado do Psol e pré-candidato à Prefeitura de São Paulo, Guilherme Boulos, que é filiado ao movimento e já foi um dos líderes do MTST.

“Boulos prova que é um desequilibrado e São Paulo não pode cair nas mãos de um desequilibrado que não respeita sequer Jesus ou a fé alheia”, declarou o petista.

Depois da repercussão negativa, o movimento de trabalhadores afirmou que houve “falta de interpretação da imagem e da mensagem” do post. “Para ajudar, indicamos a leitura de Lucas, capítulo 23”, escreveu a organização em seu perfil no X.

Outros nomes de oposição ao governo Lula também publicaram críticas:

Valdemar Costa Neto, presidente do PL:

Fabio Wajngarten, assessor e ex-secretário de comunicação do governo de Jair Bolsonaro (PL):

 Carla Zambelli (PL-SP), deputada federal:

STF intima Carla Zambelli no plenário da Câmara por porte ilegal de armas Valdemar Costa Neto é solto depois de 3 dias preso em Brasília Wajngarten chama indiciamento de Bolsonaro de “midiático” Vários internautas também criticaram a publicação. Um homem, com o usuário @Jao_RJ90, declarou que a publicação é um “desrespeito a fé alheia”. Outro, questionou: “Quais crimes Jesus cometeu mesmo? Ah é, nenhum”.

A publicação do MTST se dá 5 dias depois da Polícia Militar de São Paulo informar que o número de mortos na Operação Verão, na Baixada Santista, chegou a 51. Essa ação foi duramente criticada por nomes da esquerda.

OPERAÇÃO ESCUDO X VERÃO  Em julho de 2023, São Paulo deflagrou a operação Escudo como uma resposta à morte de Patrick Bastos Reis, policial militar da Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar), durante patrulhamento no Guarujá (SP). A ação deixou ao menos 28 mortos em cerca de 40 dias.

Já em dezembro de 2023, o governo local anunciou uma nova ação policial, que funciona como uma extensão da operação anterior. Nomeada de operação Verão, a iniciativa destinou um reforço de 3.108 policiais militares em 16 municípios do litoral sul e norte do Estado.

Depois da morte do soldado Samuel Wesley Cosmo, também PM da Rota, em 2 de fevereiro, o governo de São Paulo lançou uma nova fase para intensificar a presença policial nas ruas. A 3ª fase da operação teve início pouco tempo depois, em 7 de fevereiro, também provocada pela morte um PM, o cabo José Silveira dos Santos.

À época, o governo estadual instalou um gabinete de Segurança Pública em Santos e reforçou o patrulhamento nas cidades do litoral paulista.

O número de mortes, tanto na operação Escudo como na Verão, provocou uma série de movimentações por parte de organizações de direitos humanos. Em 16 de fevereiro, a ONG Conectas Direitos Humanos e o Instituto Vladimir Herzog enviaram um apelo à CIDH (Comissão Interamericana de Direitos Humanos) e à ONU (Organização das Nações Unidas) pelo fim da operação e pela obrigatoriedade do uso de câmeras corporais.

TARCÍSIO “NEM AÍ”  Diante das acusações, o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos-SP), disse em 8 de março estar “nem aí” para as repercussões negativas das medidas adotas no Estado. Afirmou que tem “muita tranquilidade” sobre o que tem sido feito na área de segurança e que tem recebido elogio por parte de empresários e juízes.

Assista (3min16s):

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Padilha e Rui Costa se reúnem com vice-líderes para tratar de vetos

Encontro será realizado na casa de um dos vice-líderes, deputado Emanuel Pinheiro; momento é...

Padilha diz que governo quer liberar parte dos R$ 5,6 bilhões em emendas vetados por Lula

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil O ministro-chefe da Secretaria de Relações Institucionais, Alexandre Padilha...

Boletim semanal de arboviroses – 14 a 20/04

Entre os dias 14 e 20 de abril, a Secretaria de Saúde da Prefeitura...

Após vídeos com manobras ilegais, influencer tem moto apreendida no DF

Após divulgar vídeos fazendo manobras perigosas, ilegais e zombando de policias, sobre uma moto...

Mais para você