InícioEditorialPolítica NacionalPosse de Zanin no STF reúne aspirantes à próxima vaga e personagens...

Posse de Zanin no STF reúne aspirantes à próxima vaga e personagens de reforma ministerial

Em meio a discussões sobre mudanças do governo, Lula voltou a se encontrar com Lira; evento também contou com Flávio Dino, Jorge Messias, Luis Felipe Salomão e Rodrigo Pacheco, candidatos à cadeira de Rosa Weber

WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO

Cerimônia de posse de Zanin no STF foi conduzida por Rosa Weber e teve presença de autoridades como Lula e Arthur Lira

Durou mais de três horas a cerimônia que oficializou Cristiano Zanin como novo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). Conduzido por Rosa Weber, atual presidente da Corte, o evento contou com a presença de diversas autoridades, muitas delas personagens dos próximos capítulos políticos de Brasília. Responsável pela indicação de Zanin, o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), foi sucinto ao comentar o ingresso de seu ex-advogado ao STF: “Estou muito feliz”. O novo membro da Corte defendeu o petista nos julgamentos da Operação Lava Jato. Para comemorar sua entrada na Suprema Corte, Cristiano foi a um jantar oferecido pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) com ministros do STF, do STJ, do TSE e até do STM, além de desembargadores, juízes e advogados.

Na sede do Supremo, Lula encontrou mais uma vez com Arthur Lira, presidente da Câmara, com quem vem conversando frequentemente sobre reforma ministerial. O Centrão reivindica mais espaço no governo federal em troca de apoio no Congresso. O primeiro efeito disso foi a troca de Daniela Carneiro por Celso Sabino no Ministério do Turismo. Ambos são do União Brasil, mas o partido considerava a antiga chefe da pasta uma escolha pessoal de Lula e não se sentia contemplado. A pasta, no entanto, não é suficiente na visão de Lira e seus aliados. As legendas de centro também estão de olho nos ministérios do Esporte, chefiado por Ana Moser, da Defesa, hoje sob a batuta de José Múcio, do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, gerido por Geraldo Alckmin, e de Portos e Aeroportos, que está nas mãos de Márcio França. Todos eles, com exceção de Moser, foram ao evento no Supremo.

Lula já comunicou aos seus aliados que sua base perderá espaço em sua gestão. No entanto, leva em banho-maria a reconfiguração do governo federal, o que tem deixado Arthur Lira impaciente. Para pressionar o Palácio do Planalto, o presidente da Câmara adiou a votação do arcabouço fiscal, embora publicamente negue que uma coisa tenha relação com a outra. “O arcabouço, assim como a reforma tributária, independem de base parlamentar porque nós tratamos sempre como pautas prioritárias de Estado. Não tem consenso ainda, então não posso botar uma pauta que o relator não conversou com os líderes e que nós não discutimos ainda as alterações do Senado. Isso é natural, é normal e nós temos prazo”, disse Lira. Os dois foram vistos descendo a rampa do Planalto após a posse de Celso Sabino, evento que ocorreu antes da cerimônia de Zanin.

Também estiveram no STF candidatos à próxima vaga do Supremo. Em outubro, Rosa Weber vai se aposentar, e já despontam como possíveis sucessores o ministro da Justiça, Flávio Dino, o chefe da Advocacia-Geral da União, Jorge Messias, e o ministro do STJ (Superior Tribunal de Justiça) Luis Felipe Salomão. Coincidentemente, os três estavam na mesma fileira durante a posse de Cristiano Zanin. Também já teve seu nome ventilado Rodrigo Pacheco, atual, presidente do Senado, que prestigiou o novo ministro da Corte, mas não ficou perto dos “concorrentes”. À Jovem Pan, Dino falou sobre o ingresso de Zanin no Supremo (mas não sobre a vaga de Weber). “O ministro Zanin, além dos requisitos constitucionais — notável saber jurídico, mostrou a sua trajetória muita coragem. E o Supremo Tribunal Federal julga causas difíceis. Portanto, ter um ministro que tem coragem de se posicionar de acordo com a lei é um atributo importante. O ministro Zanin vai dar uma grande contribuição para a trajetória do Supremo exatamente por reunir experiência jurídica, conhecimento técnico e coragem para cumprir a missão”, declarou o ministro da Justiça.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Ex-Record TV desabafa sobre Roberto Cabrini: “Estou decepcionado”

Nesta quarta-feira (24/4), a coluna Fábia Oliveira conversou, com exclusividade, com o jornalista Elian...

Governo Lula adia sessão do Congresso para negociar emendas parlamentares

O governo do presidente Lula (PT) conseguiu adiar a sessão do Congresso que estava...

Haddad pede compromisso ao Congresso para votar tributária em 2024

O ministro da Fazenda foi à Residência Oficial do presidente do Senado nesta 4ª...

Mais para você