InícioNotíciasPolíticaRita Serrano se despede da Caixa: “É preciso enfrentar a misoginia”

Rita Serrano se despede da Caixa: “É preciso enfrentar a misoginia”

Rita Serrano, presidente da Caixa Econômica Federal demitida pelo governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), publicou nas redes sociais e em seu site uma carta de despedida, nesta quinta-feira (26/10). No texto, a bancária reforçou a necessidade da igualdade feminina.

“Espero deixar como legado a mensagem de que é preciso enfrentar a misoginia, de que é possível uma empregada de carreira ser presidente de um grande banco e entregar resultados”, afirmou. Ela também ressaltou a importância de “relações humanizadas no trabalho”.

Lula e Rita Serrano

Lula e Rita Serrano se reúnem em maio às pressões do Centrão Agência Brasil

Rita Serrano presidenta da CAIXA Econômica durante o evento das novas diretrizes do banco8

Rita Serrano, presidenta da Caixa Econômica Igo Estrela/Metrópoles

Rita Serrano presidenta da CAIXA Econômica durante o evento das novas diretrizes do banco6

Igo Estrela/Metrópoles

Rita Serrano presidenta da CAIXA Econômica durante o evento das novas diretrizes do banco10

Igo Estrela/Metrópoles

“Ser mulher em espaços de poder é algo sempre desafiador”, defendeu. Na carta, Rita também agradeceu a Lula e falou ter sido uma “honra” participar do governo petista.

A saída dela não será imediata. Ela apontou uma “transição” com o próximo presidente do banco, o economista Carlos Antônio Vieira Fernandes, apadrinhado pelo presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL).

Trocas

Com a dispensa de Rita da chefia da Caixa, o governo Lula demitiu, até agora, três mulheres em cargos públicos de liderança de primeiro escalão para acomodar os homens indicados pelo Centrão.

O primeiro corte no time feminino do governo Lula foi o da então ministra do Turismo, Daniela Carneiro, em julho. No lugar dela, assumiu Celso Sabino, amigo próximo de Lira e que já viajou com o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

Depois, veio a demissão da então ministra do Esporte, Ana Moser, em setembro. Lula queria ampliar a base no Congresso Nacional, especialmente na Câmara dos Deputados, ao dar vaga para parlamentares do Centrão no governo. No cargo, entrou o deputado federal André Fufuca (PP-MA), também endossado por Lira.

A igualdade e diversidade nos altos cargos era promessa de campanha de Lula e foi exaltada no discurso quando ganhou as eleições no ano passado.

“Por isso, vamos trazer de volta as conferências nacionais. Para que os interessados elejam suas prioridades, e apresentem ao governo sugestões de políticas públicas para cada área: educação, saúde, segurança, direitos da mulher, igualdade racial, juventude, habitação e tantas outras”, comentou Lula à época.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Jornalistas são barrados de fórum em Londres com ministros do STF

Jornalistas foram impedidos de permanecer no andar do hotel de luxo em que os...

Projeto que libera estados legislarem sobre armas avança na Câmara

Foto: Pedro França/Agência Senado Fachada do Palácio do Congresso Nacional 24 de abril de...

Ana Maria chora ao conversar com tutor de cachorro morto em voo da Gol

Ana Maria Braga entrevistou o engenheiro João Fantazzini Júnior, tutor do cãozinho Joca, de...

Família é Tudo: Vênus se atraca com bandido, tenta fugir e corre risco

Reprodução 1 de 1 Foto colorida de Venus - Metrópoles ...

Mais para você