InícioEditorialPolítica NacionalSeif pede ‘justiça verdadeira’ no julgamento de Bolsonaro e diz que governo...

Seif pede ‘justiça verdadeira’ no julgamento de Bolsonaro e diz que governo ‘sabota’ CPMI do 8 de Janeiro

O senador Jorge Seif (PL-SC) pediu “justiça verdadeira” no julgamento que pode tornar o ex-presidente Jair Bolsonaro inelegível e disse que o atual governo “sabota” a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do 8 de Janeiro. As declarações foram feitas durante entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan News, na manhã desta segunda-feira, 19. Na quinta-feira, 22, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pode tornar Bolsonaro inelegível. De autoria do ex-presidenciável Ciro Gomes (PDT), a ação em julgamento analisa a conduta do ex-chefe do executivo em reunião com embaixadores, realizada em julho do ano passado, na qual ele criticou as urnas eletrônicas. Bolsonaro é acusado de uso indevido dos meios de comunicação e abuso do poder político. “Vamos ter fé que o TSE promova justiça verdadeira, se atenha aos fatos e não o julgue de forma política, mas sim como juízes imparciais”, comentou Seif. “O presidente Bolsonaro é um grande líder, o maior líder da direita. Se essa covardia realmente for feita, que nós, infelizmente, temos a perspectiva de que ocorrerá dado a composição do TSE e pelo que temos assistido com muitos políticos, eles não vão tirar a força de Bolsonaro. Caso se torne inelegível, em 2026, a pessoa que Bolsonaro apoiar terá muito êxito”, acrescentou. Seif também falou que o atual governo “sabota” a CPMI do 8 de Janeiro. “Brigamos muito para que essa CPMI fosse instalada. Se ver os nomes dos governistas que participam da CPMI, não tem nenhum que assinou por ela. Pelo contrário, governo sabotou o quanto pôde, ofereceu cargos para tirar o nome da lista CPMI. E a imprensa trouxe informações comprometedoras, das omissões, de que houve facilitação para que os atos ocorressem”. O senador, inclusive, disse que umas das provas dessa ação do governo seria a não aprovação, por parte dos governistas, da convocação do general Gonçalves Dias, ex-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) do governo Lula, para depor no colegiado. “Como que a mesa da CPMI não aprova pelo menos a participação de Ge Dias? Ele passeava entre vândalos que tinham invadido o Palácio do Planalto. Por que o Flávio Dino, até o momento, não liberou as imagens? Porque as imagens seguem sob sigilos? Estão ainda tentando sabotar. Mesmo que ainda em minoria, nós oposicionistas faremos pressão, trabalharemos politicamente como fizemos semana passada para trazer outras pessoas e para obter mais informações. Queremos esclarecer, independente de lado, os culpados, inocentes, quem foi omissivo e quem aceitou os atos de 8 de Janeiro”, completou.

Confira a entrevista completa do senador:

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Yanomamis rendem garimpeiros e os entregam à Força Nacional

Indígenas dizem que a ação foi motivada pela contaminação da água por mercúrio depois...

Após recuar sobre Padilha, Lira reclama de Randolfe Rodrigues

Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado O líder do...

Davi e Mani Reggo serão interpretados por sósias em documentário

Davi Brito vai ganhar um documentário sobre a sua vida, incluindo momentos vividos no...

Vídeo: Wajngarten denuncia nova tentativa de invasão ao seu prédio

São Paulo – O advogado Fabio Wajngarten, que representa o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL),...

Mais para você