InícioEditorialPolítica NacionalSob protesto do agro, Conab marca leilão para a compra de arroz...

Sob protesto do agro, Conab marca leilão para a compra de arroz importado para 6 de junho

O presidente da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), Edegar Pretto, anunciou em entrevista coletiva nesta quarta-feira (29) que o leilão público para compra de arroz importado será realizado em 6 de junho. O governo planeja adquirir 300 mil toneladas do produto nessa data, com o preço tabelado em R$ 4 por quilo e o pacote rotulado. A expectativa é que o arroz esteja disponível para o consumidor até setembro. A decisão de importar o “Arroz Beneficiado, Polido, Longo fino, Tipo 1” foi tomada para garantir preços mais acessíveis aos consumidores, especialmente após um aumento de 30% a 40% nos últimos 30 dias. As enchentes no Rio Grande do Sul foram determinantes para a alta dos preços, afetando a produção nacional, que responde por 70% do arroz do país.

O governo afirma que está atento para não prejudicar a produção nacional e vai avaliar o impacto do leilão no mercado. Se os preços se estabilizarem, não está descartada a realização de novos leilões. A Conab estima que até 1 milhão de toneladas de arroz foi perdida devido às enchentes no Estado. A venda do arroz por R$ 4 o quilo foi decidida como uma medida para conter a inflação dos alimentos, considerando que o preço médio estava em torno de R$ 25 a saca de 5 quilos antes dos problemas climáticos no Rio Grande do Sul. Esse valor representa um desconto de 20% em relação ao preço anterior.

Segundo o Ministério da Agricultura, a operação visa evitar impactos nos preços do arroz devido às possíveis perdas na safra gaúcha. Apesar dos produtores afirmarem que há oferta suficiente no mercado nacional, o governo já havia anunciado a possibilidade de comprar até 1 milhão de toneladas de arroz importado, totalizando mais de R$ 7 bilhões em gastos. A medida gerou repercussão no mercado internacional, com o preço do arroz tailandês subindo após o anúncio do governo brasileiro. A operação de compra e venda do arroz importado será realizada por meio de leilão público, com a logomarca do governo sendo vendida a R$ 4 o quilo. O ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, destacou que a ação visa combater a especulação de preços no mercado nacional.

cta_logo_jp
Siga o canal da Jovem Pan News e receba as principais notícias no seu WhatsApp!

Por outro lado, a CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil) criticou a intervenção do governo, considerando-a precipitada e desnecessária no momento. O diretor técnico da entidade, Bruno Lucchi, afirmou que não havia urgência para a medida adotada. A importação de arroz beneficiado será realizada por meio de leilão público, com a interligação de bolsas de mercadorias. Outros setores do agronegócio são igualmente contra a medida.

Publicada por Felipe Cerqueira

*Reportagem produzida com auxílio de IA

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Mais de 1,5 mil policiais civis atuarão nos festejos juninos na Bahia

Para coibir os crimes praticados durante os festejos juninos e reforçar a segurança de...

Beijos forçados e toques nas partes íntimas, PM preso suspeito de estuprar adolescente em Itamaraju

Um policial militar foi preso suspeito de estuprar uma adolescente de 15 anos, quando...

Estudo identifica proteína que ajuda covid a fugir do sistema imune

Descoberta de novo mecanismo de evasão viral representa avanço na imunoterapia e perspectiva promissora...

Quem é Luciane, mãe de Matteus, também envolvida em polêmica de cotas

O ex-BBB Matteus Amaral virou assunto nesta sexta-feira (14/6) devido a fraude de cotas...

Mais para você