InícioEditorialPolítica NacionalVereador que homenageou Michelle Bolsonaro compartilha post que chama deputada por nome...

Vereador que homenageou Michelle Bolsonaro compartilha post que chama deputada por nome de homem

Foto: André Bueno/Rede Câmara SP

Ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro ao lado do vereador paulistano Rinaldi Digilio (União Brasil) 26 de março de 2024 | 18:30

O vereador de São Paulo Rinaldi Digilio (União Brasil) compartilhou um post nas redes sociais que troca o nome da deputada federal Erika Hilton (PSOL-SP) por outro, de homem. A publicação ocorreu após a parlamentar tentar barrar homenagem à ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro no Theatro Municipal na segunda-feira, 25.

A parlamentar foi responsável por apresentar a ação no Tribunal de Justiça (TJ-SP), que levou ao veto do uso do espaço para o evento, e por solicitar a prisão em flagrante do prefeito Ricardo Nunes (MDB) em caso de descumprimento da liminar. A cerimônia, no entanto, foi mantida no teatro depois que o vereador prometeu pagar R$ 100 mil pelo aluguel por meio de um empréstimo.

Nesta terça-feira, 26, Digilio republicou vídeo de uma conta anônima que chamava a deputada, que é uma mulher trans, de “Érico Ilton”, com dois emojis de risada. O material debochava do pedido de prisão, alegando que a Polícia Militar estava presente com a sua banda no evento. Procurado pela reportagem, o vereador apagou o post e disse que “não reparou o nome escrito errado”.

A deputada também foi procurada e ainda não se manifestou sobre o assunto.

Os vereadores paulistanos aprovaram a entrega do título de cidadã paulistana para a ex-primeira-dama em novembro do ano passado. A justificativa para a concessão da honraria é de que Michelle “é engajada em políticas sociais, com atenção especial para as doenças raras”. O Theatro Municipal foi reservado pela Câmara para a realização da sessão solene, o que motivou o questionamento no TJ-SP.

Na sexta-feira, 22, o juiz Marco Antônio Martin Vargas suspendeu a autorização para a realização do evento no local, argumentando que a prefeitura não apresentou justificativas razoáveis para não sediá-lo no plenário da Câmara e que ele poderia representar “grave desvio de finalidade do bem público, do dever de impessoalidade e da promoção pessoal de autoridade”. O TJ-SP estipulou multa de R$ 50 mil em caso de descumprimento da decisão.

‘Vaquinha’ para pagar aluguel do Theatro Municipal

A Câmara Municipal recorreu alegando que foram realizados mais de 40 eventos do tipo em endereços externos desde 2021, mas o pedido foi rejeitado pelo presidente do TJ-SP, Fernando Garcia, que disse não ter competência para suspender a medida. O evento acabou sendo realizado de qualquer maneira com o vereador se oferecendo para pagar o aluguel e uma eventual multa do próprio bolso.

Ele, no entanto, tenta reverter o prejuízo divulgando uma “vaquinha” via Pix criada pelo seu próprio assessor de comunicação na plataforma X (antigo Twitter). A estratégia se assemelha a uma vaquinha recebida pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) para arcar com multas por descumprimento de medidas sanitárias durante a pandemia de covid-19. O político recebeu R$ 17,1 milhões de apoiadores e ainda teve as penalidades anistiadas em São Paulo.

Em 2020, Digilio declarou patrimônio de R$ 2,4 milhões ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O vereador é pastor da Igreja do Evangelho Quadranagular e diz lutar contra “proposituras que visam destruir os valores cristãos e da família tradicional” em sua biografia divulgada no site da Câmara de São Paulo.

Samuel Lima/Estadão

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Gilmar Mendes suspende processos judiciais que tratam da lei do Marco Temporal

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, suspendeu, nesta segunda-feira (22), por...

Como Escolher o Óleo de Motor Adequado para o Seu Carro: Dicas e Recomendações

Quando se trata de manutenção do seu veículo, escolher o óleo de motor correto...

Política fiscal é um desastre e o marco é uma piada, diz Caiado

Governador de Goiás critica o novo marco fiscal e o governo por “querer ganhar...

Mais para você