InícioNotíciasPolíticaApós encontro ser cancelado, Zelensky diz que Lula deve ter ficado “desapontado”

Após encontro ser cancelado, Zelensky diz que Lula deve ter ficado “desapontado”

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, foi irônico ao responder se tinha ficado desapontado em não conseguir se reunir reservadamente com o brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva (PT), às margens da cúpula do G7, no Japão. “Eu acho que ele ficou desapontado”, disse Zelensky, sorrindo, após ser questionado por jornalistas em Hiroshima neste domingo (21/5).

O encontro foi pedido oficialmente pela diplomacia ucraniana na sexta-feira (19/5), mas a equipe de Lula hesitou no início, e a delegação brasileira só respondeu e tentou marcar horários já neste domingo.

Uma sala chegou a ser montada para a reunião pela diplomacia brasileira, mas Zelensky tinha outros encontros marcados, como com o presidente norte-americano, Joe Biden, e não conseguiu espaço. No fim, ambas as diplomacias disseram que a reunião não ocorreu por “incompatibilidade de agendas” dos dois líderes.

No entanto, Lula e Zelensky se encontraram em uma reunião com outros chefes de Estado, na qual o presidente brasileiro condenou a invasão da Ucrânia pela Rússia. O objetivo de Zelensky ao pedir uma conversa com Lula era convencer o brasileiro a apoiar o plano de paz da própria Ucrânia, que exige a retirada total da Rússia de seu território.

Lula, assim como líderes de outros países dos Brics, como China e Índia, tem adotado uma posição um pouco mais neutra em relação à guerra, que condena a invasão russa, mas tenta insistir em negociações que levem ao cessar fogo e à paz.

No início de maio, ao receber em Brasília o primeiro-ministro da Holanda, Mark Rutte, Lula defendeu uma paz negociada e citou que o Brasil quer ajudar os envolvidos a encontrarem um “meio termo” entre seus objetivos.

foto-lula-japao-g7

Lula na Cúpula do G7, no JapãoBrendan Smialowski/Pool

biden zelensky 1 _resized_compressed

Volodymyr Zelensky se reúne com Joe BidenInstagram/Volodymyr Zelensky

Lula e Trudeau

Lula e Justin TrudeauRicardo Stuckert/PR

Olaf Scholz – Volodymyr Zelenskyy meeting in Germany

O presidente ucraniano Volodymyr Zelenskyy (E) é recebido por Olaf Scholz (D), o chanceler alemão

macron lula japão g7

Lula e MacronGoverno da França/Reproduçaõ

Após ter sido criticado mundo afora por ter dito nos Emirados Árabes, em abril, que “a decisão da guerra foi tomada por dois países”, o brasileiro tem insistido em condenar a invasão do território ucraniano pelos russos e em dizer que, para além dessa condenação, é preciso avançar no diálogo e buscar efetivamente a paz.

“Cada país tem sua razão”, disse Lula, em declaração conjunta com o líder holandês, após reunião bilateral entre os dois no Palácio do Planalto. “A Ucrânia efetivamente não pode aceitar ocupação de seu território, tem de resistir. A União Europeia tem sua razão na solução que tomou [ficar ao lado da Ucrânia e contra a Rússia], e Brasil e outros países têm sua razão de querer encontrar um meio termo. Eu acho que é possível. Se acreditasse que é impossível, não estaria metido nisso até os dentes”, disse o petista na ocasião.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Homem com fuzil é preso perto de convenção republicana

Segurança no local do evento foi reforçada após o ex-presidente dos EUA Donald Trump...

Anderson Torres aposta em reviravolta para não ser expulso da PF

Vinícius Schmidt/Metrópoles 1 de 1 PF Anderson Torres ex-secretário de Segurança Pública do DF,...

Chiquinho diz que é “vítima” e que relação com Marielle era “maravilhosa”

Na Câmara, deputado nega envolvimento com milícias; Domingos Brazão, irmão do congressista, também prestou...

Bambambã: juiz diz que empresário agiu de forma articulada e violenta

Dono do bar Bambambã – localizado na 408 Norte, em Brasília – Gabriel Ferreira...

Mais para você