InícioEntretenimentoCelebridadeCom volta de Tomate aos palcos, Festival do Parque estreia em Salvador

Com volta de Tomate aos palcos, Festival do Parque estreia em Salvador

O Parque da Cidade, que já costuma lotar todo final de semana, se encheu mais cedo neste domingo (8). O ponteiro do relógio nem tinha chegado às 11h quando centenas de pessoas caminhavam rumo ao anfiteatro do local. Tudo para garantir vaga  para ver os shows gratuitos do cantor Tomate e da banda DH8.

Os artistas baianos abriram a programação do Festival do Parque, evento que está em sua primeira edição e ainda vai levar ao palco do mesmo local Jau e Filhos de Jorge nos próximos finais de semana. A proposta é, com a gratuidade de acesso, ocupar ainda mais o parque e atrair até que é de fora de Salvador para o local.

E funcionou. O agente de saúde Otoniel de Almeida Costa, 46 anos, mora em Simões Filho e veio para a capital baiana para curtir o show de Tomate. “Como vi que ia ser no Parque, trouxe minha filha às 9h para aproveitar, brincar e, de quebra, curtir o som de Tomate que eu gosto e acompanho há muitos Carnavais”, fala ele.

Para ele, a programação musical faz o espaço ficar ainda mais propício para passar o tempo com a família. “Já vim outras vezes e sei que o Parque é massa para lazer no fim de semana. Com os artistas baianos tocando aqui, aí que a gente vem mesmo. Tanto é que está cheio”, diz.

Apesar de ter menos idade, a estudante Vanessa Campos, 25, também é uma fã de longa data do cantor Tomate. Quando soube que ia ter show de graça, não pensou duas vezes. “Mandei logo para minhas amigas e disse para não marcar nada hoje. Show aqui no Parque tem uma energia muito gostosa, quem já veio naqueles de Saulo sabe como é”, lembra.

Ansiosa para ver de perto Tomate tocar a música ‘Parará’, ela afirma que o evento antecipou o clima da maior festa de rua do mundo. “Assim a gente sente que já é Carnaval, o som de Tomate é parte da festa. Toda vez que tem, estou atrás do trio para ver ele cantar. Não perco na avenida e não ia perder aqui também”, afirma Vanessa.

De baiano para baiano

Se quem estava na plateia estava empolgado, quem se apresentou também. O festival, que traz apenas artistas baianos para se apresentarem, veio em boa hora para o cantor Tomate, que voltou aos palcos depois de três anos longe dos palcos por motivos pessoais.

“Depois da minha saída para espairecer a mente, poder voltar hoje na minha cidade, no parque e nesse festival é incrível. Esse evento é mais gostoso pra mim do que para qualquer pessoa que esteja aí porque estou precisando muito dessa energia”, afirma.

Tomate afirmou também que o Festival do Parque, que já começa com grande repercussão, tem tudo para ficar maior ainda. Sobre o local do show, ele disse ter uma relação especial com o espaço.

“Tô muito feliz. São poucas fotos que eu tenho bem pequenininho e são aqui no parque porque minha mãe me trazia para cá. Não acredito em coincidência, tudo na vida é planejado por Deus”, fala. 

Gusta, vocalista da banda DH8, que mistura pagode e axé e abriu a festa, foi outro que comemorou a oportunidade de estar na abertura dos shows do festival. 

“Eu moro aqui perto e sempre fiquei conectado com os eventos que rolam aqui. Vi do anfiteatro Saulo tocar muito. Para mim, então, é a realização de um sonho. Muito massa trazer a energia da nova música baiana com o DH8”, diz.

Feito para isso

Idealizadora do Festival do Parque, a produtora Márcia Mamede conta que a ideia do projeto, que deve acontecer uma vez por semestre daqui para frente, é justamente ocupar o espaço com atrações daqui, que tenham conexão e história com os soteropolitanos e baianos.

“É um espaço de convivência aos domingos de quem é daqui. Então, sempre tive vontade de fazer um projeto de cultura que agradasse as famílias que vêm aqui. E nada melhor do que fazer isso com artistas baianos”, afirma.

Márcia, que é presidente da associação de blocos do Carnaval, conta ainda que toda a raiz de projetos que se propõe a fazer é conduzida pensando nos artistas baianos como protagonistas.

“O projeto mistura estilo de músicas, mas com quem é daqui. A gente precisa valorizar esses artistas, eu nasci no Carnaval e tenho 40 anos de festa. Por isso, preciso promover eventos com nossos artistas no palco”, fala 

O Festival do Parque é tem patrocínio da Claro e do Governo do Estado, além de contar com o apoio da Secretaria Municipal de Sustentabilidade, Inovação e Resiliência (Secis). Para além dos shows, o Parque, durante os próximos fins de semana, recebe um espaço de economia criativa, praça de alimentação e programação especial para crianças.

Veja a programação dos próximos shows nos finais de semana de Festival do Parque:

15 de janeiro:

Filhos de Jorge
Grupo Autorais

22 de janeiro:

Jau 
Bailinho de Quinta

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

A avaliação do time de Lewandowski sobre o projeto que limita delações

Integrantes da cúpula do Ministério da Justiça veem com cautela o projeto de lei...

Após seca histórica, indústria do AM acende alerta para clima em 2024

Meses após a seca histórica no Rio Negro, em Manaus, capital do Amazonas, a...

Governador liga para Lewandowski após ataques com mortes no Ceará

Elmano de Freitas (PT) diz não descartar pedir apoio do governo Lula para reforçar...

Venda agressiva e Gusttavo Lima na propaganda: o que é a Gav Resorts

Com vendedores gravados fazendo promessas “estratosféricas” de investimentos e turistas reclamando de abordagens predatórias,...

Mais para você