InícioNotíciasPolíticaEntenda por que Prates balança na presidência da Petrobras

Entenda por que Prates balança na presidência da Petrobras

A principal fonte de instabilidades para a permanência de Jean Paul Prates na presidência da Petrobras tem uma fonte clara: integrantes do próprio governo. O atual líder da estatal tem entre seus opositores mais notórios os ministros Alexandre Silveira, das Minas e Energia, e Rui Costa, da Casa Civil. 

Nas últimas semanas, contudo, o fogo amigo contra Prates intensificou-se e as ameaças contra a sua permanência no cargo atingiram um novo patamar no governo Lula. Nesse caso, a desavença foi resultado da posição do CEO sobre a distribuição dos dividendos extraordinários da Petrobras, adotada no início de março.

Prates era favorável a uma maior distribuição desses dividendos aos acionistas. Lula e Silveira tinham posição contrária. Em 8 de março, uma sexta-feira, porém, as ações da petroleira desabaram na Bolsa brasileira (B3), quando foi anunciada a decisão de reter o repasse de dividendos. O choque da informação resultou numa perda de quase R$ 56 bilhões em valor de mercado da companhia num só dia.

Por conta do mesmo problema, Prates também foi contestado por representantes de petroleiros – os funcionários têm direito a um lugar no Conselho de Administração da empresa.

Polêmica sobre dividendos No início de março, a diretoria da Petrobras enviou ao Conselho de Administração da empresa uma proposta para pagar 50% dos R$ 43,9 bilhões em dividendos extraordinários aos acionistas. A outra metade da quantia seria retida pela estatal. Em tese, a solução agradava a gregos e troianos. 

O conselho, porém, decidiu segurar toda a bolada em um fundo de reserva. Segundo o estatuto da companhia, esse fundo deve ser usado para remunerar os acionistas ou, se necessário, cobrir eventuais prejuízos da empresa. A proposta ainda precisa ser aprovada pela Assembleia Geral Ordinária, que reúne os acionistas da Petrobras, em 25 de abril.

Nesta quinta-feira (4/4), as ações da Petrobras voltaram a oscilar forte com novos rumores sobre a saída de Prates da Petrobras. A petroleira, contudo, não é o único alvo do governo Lula em suas tentativas de influenciar na gestão de companhias. A Vale passou recentemente por situação semelhante. Ela também sofreu forte baque no valor de mercado em março.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Taylor Swift bate recorde histórico de streams com lançamento de álbum

Taylor Swift lançou o álbum The Tortured Poets Department há menos de uma semana...

Padilha afirma que Haddad brigará no Congresso por relatores com ‘legitimidade’ na reforma tributária

O ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, afirmou nesta segunda-feira (22), após reunião com...

Governistas sugerem que Haddad envie tributária até 4ª feira

Ideia é que o ministro da Fazenda entregue a regulamentação pessoalmente no Congresso; as...

Mais para você