InícioEditorialPolítica Nacional"Inadmissível", diz ministra das mulheres sobre caso da "Choquei"

“Inadmissível”, diz ministra das mulheres sobre caso da “Choquei”

Cida Gonçalves afirma que irresponsabilidade de perfis na rede social X (ex-Twitter) influenciou a morte da jovem Jéssica Canedo

Cida Gonçalves (foto) associou o caso com o ataque hacker contra a primeira-dama Janja José Cruz/ Agência Brasil – 12.abr.2023

PODER360 23.dez.2023 (sábado) – 22h41

A ministra das Mulheres, Cida Gonçalves, afirmou neste sábado (23.dez.2023) que perfis nas redes sociais e o X (ex-Twitter) agiram com “irresponsabilidade” em relação à Jéssica Vitória Canedo. A jovem, de 22 anos, morreu na 6ª feira (22.dez). Ela estava sendo citada em páginas de entretenimento nas redes sociais, como a “Choquei”, como suposto caso amoroso do humorista Whindersson Nunes. Ambos negaram essa informação. Jéssica relatou ter recebido mensagens de ódio.

“É inadmissível que o conteúdo mentiroso contra Jéssica, que fez crescer uma campanha de difamação contra a jovem, não tenha sido retirado do ar nem pelo dono da página, nem pela plataforma”, escreveu em seu perfil na rede social. 

Cida afirmou que o governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem projetos para melhorar o ambiente virtual em relação a comentários ofensivos publicados nas redes sociais. Mais cedo, governistas comentaram a morte da jovem e defenderam a aprovação do PL das fake news e defenderam a regulação das plataformas digitais. A oposição reagiu e criticou os aliados de Lula. 

“É preciso que haja justiça urgente para a trágica morte de Jéssica e que possamos construir também em curto prazo um ambiente saudável e de respeito para as mulheres na internet”, disse. Segundo a ministra, a morte de Jéssica “é mais uma tragédia fruto da irresponsabilidade de perfis nas redes sociais que lucram com a misoginia e disseminação de mentiras e, igualmente, da falta de responsabilização das plataformas”.

A ministra relembrou o ataque hacker ao perfil do X da primeira-dama Rosângela da Silva, a Janja, em 11 de dezembro. Segundo Cida, tanto ela quanto Jéssica foram alvo de misoginia (ódio contra mulheres). 

Ao fim de sua mensagem, Cida consolou a família da jovem: “Minha solidariedade à família, aos amigos e especialmente à mãe de Jéssica”. 

Entenda o caso Por meio de seu perfil no Instagram, Jéssica Vitória Canedo negou que os prints de mensagens sobre um suposto envolvimento romântico entre ela e Whinderson fossem verdadeiros. “Toda essa palhaçada envolvendo meu nome e do Whindersson não passa de uma brincadeira muito sem graça”, disse.

A Choquei apagou as publicações sobre o caso. Eis abaixo um dos posts:

Jéssica também relatou ter recebido recebeu mensagens de ódio e ameaças em seu perfil. “Vocês estão falando da minha aparência, da minha classe social, xingando minha família, ameaçando, me chamando de interesseira, me comparando com as ex’s dele”, disse ao pedir que as pessoas parassem de ir acessar o seu perfil.

Ela afirmou que as pessoas estavam “passando completamente dos limites”. Disse que 2023 havia sido o ano mais “difícil” de sua vida e era grata por ter chegado em dezembro deste ano com vida.

A jovem também pediu para que as pessoas parassem e pensassem nas “consequências” do que estavam fazendo. “Vocês não sabem como está o psicológico de quem está recebendo os xingamentos e as ameaças”, disse.

A mãe de Jéssica, Inês Oliveira, também havia publicado no perfil da jovem um pedido para que os ataques e as “mentiras” parassem de ser compartilhadas. Amigos da jovem sugerem que ela possa ter cometido suicídio na 6ª feira (22.dez). Essa informação, no entanto, ainda não foi confirmada oficialmente.

O QUE DIZ A “CHOQUEI” Em nota, a “Choquei” disse que não houve “qualquer irregularidade na divulgação das informações prestadas” sobre o suposto affair de Jéssica e Whindersson. Segundo o perfil, “não há responsabilidade a ser imputada pelos atos praticados, haja vista a atuação mediante boa-fé e cumprimento regular das atividades propostas”. O comunicado, assinado pela advogada Adélia de Jesus Soares, foi publicado no perfil da página no Instagram.

A página disse querer “ressaltar que todas as publicações foram feitas com base em dados disponíveis no momento e em estrito cumprimento das atividades habituais decorrentes do exercício do direito à informação”. Sem citar a morte da jovem, afirmaram lamentar “profundamente” o episódio.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Mais para você