InícioEditorialPolítica NacionalJustiça afasta Eduardo Leite da presidência do PSDB e pede novas eleições...

Justiça afasta Eduardo Leite da presidência do PSDB e pede novas eleições em 30 dias para decidir nova diretoria

Por decisão da Justiça, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, se afastará da presidência do PSDB, cargo que exercia deste fevereiro deste ano. A juíza Thaís Araújo Correia, da 13ª Vara Cível de Brasília, ainda determinou que se anule todas as decisões tomadas por ele desde o dia seis de julho do ano passado, quando prorrogou o próprio mandato. Por esta decisão, toda a comissão executiva – que tinha como vice-presidente do colegiado Raquel Lyra, governadora de Pernambuco, e Eduardo Riedel, do Mato Grosso do Sul – também mudará . Na decisão da magistrada, Leite terá 30 dias para convocar uma convenção para eleger uma nova executiva.Partido disse que vai esperar a notificação para recorrer da decisão.

O prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando, que opromoveu a ação, alegou que Eduardo Leite deveria ter deixado o posto no dia 31 de maio, data estabelecida para o fim do mandato na ata da reunião da Comissão Executiva que o elegeu. Em sua defesa, o PSDB diz que a prorrogação do mandato se deu por unanimidade, e que o próprio Morando anuiu com a votação. Mas para juiza Thaís Araújo Correia rejeitou o argumento e afirmou que a prorrogação do mandato só poderia ocorrer uma única vez, pelo prazo máximo de um ano. “Nesse contexto, o réu (o comando do PSDB) tenta atribuir uma interpretação extensiva ao artigo, de modo a autorizar prorrogações ilimitadas, o que vai de encontro ao definido pelo Superior Tribunal Federal, no julgamento da ADIN 6230, que interpretou conforme ‘à Constituição o § 2º do art. 3º da Lei 9.096/1995, na redação dada pela Lei 13.831/2019, para assentar que os partidos políticos podem, no exercício de sua autonomia constitucional, estabelecer a duração dos mandatos de seus dirigentes, desde que compatível com o princípio republicano da alternância do poder concretizado por meio da realização de eleições periódicas em prazo razoável’. Nesse contexto, observa-se que é vedada a duração ilimitada dos mandatos, primando-se pelo princípio republicano da alternância do poder. Importante destacar que situação diversa ocorre quando a mesma Comissão é reeleita, observando o devido processo eleitoral, estabelecido no Estatuto”, disse a magistrada.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Lira indica data para anunciar seu candidato a presidente da Câmara

IGO ESTRELA/METRÓPOLES @igoestrela 1 de 1 imagem colorida mostra arthur lira - Metrópoles...

Presidente da Petrobras diz que ainda vai avaliar dividendos

Em fala a jornalistas, Magda Chambriard despista sobre distribuição dos proventos, mas garante que...

MPRJ perto de denunciar (ou livrar) Carlos Bolsonaro por rachadinha

A investigação da suposta rachadinha no gabinete do vereador Carlos Bolsonaro chegou à reta...

Grande incêndio atinge loja em bairro alagado de Porto Alegre

Um incêndio de grandes proporções atingiu uma loja de vidros no bairro Humaitá, na...

Mais para você