InícioNotíciasPolíticaMoraes deixa brecha para afastar Ramagem do cargo de deputado

Moraes deixa brecha para afastar Ramagem do cargo de deputado

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF) deixou uma brecha para afastar Alexandre Ramagem do mandato de deputado federal caso haja nova tentativa de interferência nas investigações sobre o monitoramento ilegal de autoridades em solo brasileiro.

Segundo a Polícia Federal (PF), Ramagem teria usado o cargo de deputado para tentar obter informações sobre o inquérito em andamento, no qual está diretamente envolvido. Ramagem comandava a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) entre 2019 e 2022, quando o monitoramento ilegal ocorreu.

Ramagem foi indicado por Bolsonaro para comandar a PF mas teve nomeação barrada pelo STF

Ramagem foi alvo de operação da PF nesta quinta-feira (25/1) Marcos Oliveira/Agência Senado

Alexandre de Moraes fala de hackers do bem na abertura do código-fonte de urnas eletrônicas

Moraes negou afastamento de Ramagem, mas disse decisão pode ser reanalisada Reprodução/YouTube

CarlosBolsonaro e Alexandre Ramagem

Alexandre Ramagem com filhos de Bolsonaro, em festa de Ano-Novo Reprodução/Instagram

alexandre ramagem e jair bolsonaro

Bolsonaro cumprimenta Ramagem, chefe da Abin durante seu governo Valter Campanato/Agência Brasil

Alexandre Ramagem-Abin-Bolsonaro

Alexandre Ramagem e Bolsonaro Igo Estrela/Metrópoles

Alexandre Ramagem

O deputado federal Alexandre Ramagem: delegado é cotado no PL para disputar Prefeitura do Rio Valter Campanato/Agência Brasil

Alexandre Ramagem

O deputado federal Alexandre Ramagem Bruno Spada/Câmara dos Deputados

A princípio, o pedido de afastamento feito pela PF não foi acolhido por Alexandre de Moraes, na decisão que autorizou o cumprimento de mandados de busca e apreensão contra o deputado nesta quinta-feira (25/1).

Como integrante da Comissão Mista de Controle das Atividades de Inteligência (CCAI) da Câmara dos Deputados, Ramagem tentou obter informações sobre as investigação do uso indevido do sistema First Mile. Ele enviou requerimentos nesse sentido à Controladoria Geral da União (CGU). Procuradoria Geral da República (PGR), PF e à própria Abin.

“As ações do então diretor Alexandre Ramagem no exercício do cargo de deputado federal membro do CCAI são realizadas em descompasso com o bom andamento da presente investigação. A posição do deputado federal na CCAI, órgão do Congresso Nacional responsável pela fiscalização dos órgãos de Inteligência, apresenta risco para investigação posto que, inclusive, tem se valido para obter informações que sequer na condição de investigado teria”, argumentou a PF.

Na decisão, o ministro Alexandre de Moraes avaliou que o afastamento não é necessário no momento, mas deixou claro que o entendimento pode ser reanalisado.

“Em que pese a gravidade das condutas do investigado, Alexandre Ramagem, bem analisada pela Polícia Federal, nesse momento da investigação não se vislumbra a atual necessidade e adequação de afastamento de suas funções. Essa hipótese poderá ser reanalisada se o investigado voltar a utilizar suas funções para interferir na produção probatória ou no curso das investigações”, disse o ministro.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Nikki Haley vence primárias republicanas na capital dos EUA

Conquista no distrito de Columbia é a 1ª da ex-representante do país na ONU...

Equipe de Pitel rebate acusações de ex-mulher de Lucas, Camila Moura

Após a ex-mulher de Lucas Henrique, o Buda, soltar o verbo nas redes sociais...

Quem é o brasileiro suspeito de planejar ataques a judeus no DF

Goiânia – Investigações conduzidas pela Polícia Federal (PF) descobriram que o grupo terrorista libanês Hezbollah recrutou brasileiros para ataques...

Mais para você