InícioEditorialPolítica NacionalNa CNC, Alckmin pede apoio do Congresso na agenda econômica

Na CNC, Alckmin pede apoio do Congresso na agenda econômica

Em evento, vice-presidente afirma que o Brasil já alcançou R$ 97,3 bilhões em investimentos no setor automotivo

O vice-presidente, Geraldo Alckmin (PSB), durante evento da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo) Letícia Pille/Poder360 – 6.mar.2024

Letícia Pille 6.mar.2024 (quarta-feira) – 22h51

O vice-presidente e ministro do Desenvolvimento da Indústria, Comércio e Serviços, Geraldo Alckmin (PSB), pediu o apoio do Congresso nessa 4ª feira (6.mar.2024) durante evento de entrega de agenda institucional da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), em Brasília.

“Eu vejo vários senadores e parlamentares [no evento], também pedir o apoio do Congresso. Nós temos projetos que ajudam a economia”, disse o ministro.

Ele citou projetos como o de “depreciação acelerada”, de recursos destinados pelas empresas para compra de máquinas e equipamentos, e a MP (Medida Provisória) 1.205/2023 que institui o programa Mover (Mobilidade Verde), assinada pelo governo no final de 2023 e que destina incentivos fiscais ao setor automotivo.

Segundo Alckmin, com os recentes anúncios, como o da Toyota e da Stellantis, o montante de investimentos no setor automotivo do Brasil chega a R$ 97,3 bilhões. “Hoje [6.mar] fechamos R$ 97,3 bilhões de investimento só na indústria automotiva […] E além do marco de garantias, vai tornando o crédito do carro mais barato”, afirmou o vice-presidente.

O ministro da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, Márcio França, também presente no evento, afirmou que quer lançar ainda em março o programa de renegociação de dívida para empresas, chamado por ele de “Desenrola da pessoa jurídica”.

AGENDA INSTITUCIONAL O documento, de 94 páginas, contempla proposições relativas a pautas macroeconômicas e recomendações para o comércio de bens, serviços e turismo, além de propostas de políticas públicas para os Poderes Executivos.

Uma das pautas defendidas como prioridade pela confederação é a Reforma Tributária. “Continuamos trabalhando por uma Reforma Tributária justa que não sobrecarregue os serviços”, afirmou o presidente da CNC, José Roberto Tadros, em discurso. Eis a íntegra da agenda (PDF – 1 MB).

Na 2ª feira, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, disse que os projetos complementares à reforma serão encaminhados ao Congresso ainda em março. Ele declarou que depende de “trabalhos” de Estados e municípios para definir temas do IBS (Imposto sobre Bens e Serviços).

No evento, além da entrega da agenda, foi feito o lançamento da Agenda Municipal, um instrumento de posicionamento do setor terciário diante dos candidatos a prefeito e vereador nas eleições deste ano.

Também estavam presentes no evento: o ministro do Desenvolvimento Regional, Waldez Góes; o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo); a vice-governadora do DF (Distrito Federal), Celina Leão (PP); a senadora professora Dorinha Seabra (União-TO); e a deputada Soraya Santos (PL-RJ).

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Cartões de confirmação do CNU, com locais de prova, saem nesta quinta

O governo federal disponibiliza, a partir das 10h desta quinta-feira (25/4), o cartão de...

Apostas em corte de 0,25 ponto percentual da Selic batem novo recorde

As apostas dos investidores num corte de 0,25 ponto percentual da taxa básica de...

Zona Franca de Manaus mantém benefícios fiscais com reforma tributária

Proposta de regulamentação da reforma tributária dá incentivos para a produção industrial e para...

Governo consegue adiar sessão sobre derrubada de vetos de Lula, evita derrotas e contraria Lira

Foto: Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira...

Mais para você