InícioEditorialPolítica NacionalPreso envolvido em ataques de 8 de Janeiro morre na Papuda; Moraes...

Preso envolvido em ataques de 8 de Janeiro morre na Papuda; Moraes pede cópia do prontuário médico

Um dos presos envolvidos nos ataques de 8 de Janeiro, Cleriston Pereira da Cunha, morreu nesta segunda-feira, 20, enquanto tomava banho de sol na Penitenciária da Papuda, em Brasília. Aliados do ex-presidente Jair Bolsonaro reagiram à notícia com críticas ao STF (Supremo Tribunal Federal) e ao ministro Alexandre de Moraes. A defesa de Cunha havia solicitado sua liberdade provisória ao ministro, com parecer favorável da PGR (Procuradoria-Geral da República), mas ainda não havia despacho da Corte sobre o pedido. O detento respondia a uma ação penal por diversos crimes, incluindo associação criminosa armada e golpe de Estado. Moraes solicitou informações detalhadas sobre a morte do preso, entre elas uma cópia do prontuário médico e do relatório de atendimento recebido pelo detento durante sua custódia.

O senador Hamilton Mourão, ex-vice presidente, criticou o fato de Cleriston permanecer preso mesmo com o parecer favorável da PGR. Segundo Mourão, a morte do detento representa uma “burocracia que vem cerceando direitos dos presos” e pediu uma investigação minuciosa para esclarecer o ocorrido. O deputado federal Ubiratan Sanderson, presidente da Comissão de Segurança Pública da Câmara dos Deputados, também questionou os motivos da morte e afirmou que alguém deve ser responsabilizado. A deputada federal Carla Zambelli informou que seu gabinete está trabalhando em conjunto com a bancada de oposição ao governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para apurar os fatos. Já o deputado Coronel Meira chamou o preso de “patriota” e afirmou que ele “pagou com a sua vida”. O deputado José Medeiros, por sua vez, considerou a morte de Cleriston uma “nódoa” para o ministro Alexandre de Moraes e afirmou que o detento não deveria estar preso.

O ex-deputado federal e ex-procurador Deltan Dallagnol também destacou o parecer favorável da PGR à liberdade provisória de Cleriston e criticou a “injustiça absurda praticada pelo Supremo”. O detento era acompanhado por uma equipe multidisciplinar da Unidade Básica de Saúde da Papuda desde sua prisão em janeiro e recebia medicamentos controlados para diabetes e hipertensão. De acordo com a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seape), Cunha passou mal por volta das 10h, enquanto estava no pátio. O Corpo de Bombeiros foi chamado e duas viaturas entraram na unidade prisional às 10h18 para prestar socorro. Apesar das tentativas de reanimação cardiorrespiratória, ele não resistiu. O óbito foi declarado às 10h58.

 

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Como ser um bom goleiro?

Ser um bom goleiro no futebol é uma tarefa desafiadora que exige habilidades técnicas,...

Como abrir uma agência de viagens?

Abrir uma agência de viagens pode ser uma ótima oportunidade para empreendedores apaixonados por...

Como atrair clientes para loja?

Atrair clientes para a sua loja é essencial para o sucesso de qualquer negócio....

Como saber se tenho TOC?

O Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC) é uma condição de saúde mental caracterizada por pensamentos obsessivos...

Mais para você