Museu Nacional fica completamente destruído após incêndio

Ainda não há informações sobre as causas do fogo; ninguém se feriu. Instituição que completou 200 anos em 2018 tem acervo de 20 milhões de itens.

RESUMO
Um incêndio destruiu o Museu Nacional, na Zona Norte do Rio, e destruiu parte da história do país.
O fogo foi controlado na madrugada desta segunda. Segundo os bombeiros, praticamente tudo foi destruído. Equipes conseguiram recuperar itens da parte de botânica e alguns documentos.
O Museu Nacional tinha acervo de mais de 20 milhões de itens. Entre eles, o crânio de Luzia, fóssil mais antigo das Américas e tesouro arqueológico nacional.
O incêndio começou por volta das 19h30 deste domingo (2). Boa parte da estrutura do prédio era de madeira, e o acervo tinha muito material inflamável.
O fogo se espalhou rapidamente. Segundo a assessoria de imprensa do museu e o Corpo de Bombeiros, não houve feridos.

Diretor do Museu Nacional, Alexandre Kellner, volta ao local do incêndio. Ele passou parte da noite acompanhando o trabalho dos bombeiros.

O ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, e a presidente do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Kátia Bogéa, estão a caminho do Rio de Janeiro para acompanhar o trabalho de rescaldo da estrutura do Museu Nacional.

Na manhã seguinte a destruição do Museu Nacional, estudantes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) foram até o Museu Nacional para ver de perto a situação do patrimônio na manhã desta segunda-feira (3). Algumas pessoas estavam ontem no momento do incêndio, mas voltaram com a esperança de salvar alguma coisa

“É deprimente. A gente perdeu tudo. A gente perdeu o maior acervo da América Latina. A gente perdeu toda a nossa história, e a história que a gente estava construindo.

Ontem a gente jogou no jardim o que deu, mas o fogo aumentou, ficou muito quente e a gente teve que sair”, lamentou a geógrafa Patrícia Quadros.

Fonte | G1

Deixe seu comentário. Interaja Você Também!