InícioNotíciasPolíticaLula se reúne hoje com Biden, em viagem estratégica para o Planalto

Lula se reúne hoje com Biden, em viagem estratégica para o Planalto

Lula se reúne nesta sexta-feira (10/2) com o presidente americano, Joe Biden, em sua primeira visita à Casa Branca desde a posse. Esta é a quinta vez que o presidente é recebido na sede do governo americano. A viagem até agora não tem nenhum grande anúncio previsto, mas há um esforço do Palácio do Planalto para que o encontro seja visto como uma demonstração de força das duas democracias frente às recentes ameaças personificadas por Donald Trump e Jair Bolsonaro.

A viagem é estratégica para o Palácio do Planalto, por ser mais uma etapa do esforço de Lula para mostrar que o Brasil voltou ao jogo diplomático mundial. Nas palavras de um diplomata que integra a comitiva presidencial, Lula tem buscado demonstrar que o país deixou de ser um “pária”, como orgulhosamente Ernesto Araújo certa vez descreveu o país na cena global.

Um dos prováveis anúncios da viagem é a adesão dos Estados Unidos ao Fundo Amazônia, por meio do qual países contribuem financeiramente com ações de defesa da Amazônia. A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, se encontrará com com o enviado especial para o clima, John Kerry, no salão oval da Casa Branca, com Biden e Lula. O presidente americano comprometeu-se em sua campanha a aportar recursos na defesa da Amazônia, mas não havia clareza se isso se daria pela constituição de um novo fundo ou adesão ao já existente, que é financiado com aportes de Noruega, Alemanha e Petrobras.

O anúncio deve ser feito por meio de um comunicado conjunto dos dois presidentes, a ser divulgado após o encontro no Salão Oval.

A guerra na Ucrânia deverá ser um momento tenso do encontro. O governo americano, a exemplo do que fizeram França e Alemanha, gostaria de que o Brasil fornecesse armamentos para a Ucrânia, o que já foi negado por Lula.

Nesta terça-feira (7/2), disse Lula a jornalistas no Planalto: “Não acredito que o presidente Biden venha me convidar para participar do esforço de guerra pela Ucrânia, porque o Brasil não participará. Eu, na última viagem do chanceler alemão [ao Brasil], ele [Olaf Scholz] queria que nós vendêssemos para a Alemanha a munição que o Brasil tem”.

O encontro de Lula e Biden acontecerá às 15h30 do horário de Washington, 17h30 no horário de Brasília. O presidente do Brasil estará acompanhado dos ministros Mauro Vieira (Relações Exteriores), Fernando Haddad (Fazenda), Marina Silva (Meio Ambiente), Anielle Franco (Igualdade Racial), do ex-chanceler Celso Amorim, assessor especial do presidente, e do secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento Econômico e Comércio Marcio Elias Rosa.

Antes do encontro com Biden, Lula conversará com o senador Bernie Sanders e outros políticos do Partido Democrata, entre eles a deputada Alexandria Ocasio-Cortez, de Nova York. O petista também terá uma reunião com representantes da Federação Americana de Trabalho e Congresso de Organizações Industriais (AFL-CIO). A coluna está em Washington para acompanhar a visita.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Líder da União Europeia critica Milei por falas sobre o governo espanhol

Javier Milei chamou a mulher do presidente espanhol Pedro Sáchez de “corrupta”, durante evento...

Equipes de resgate encontram helicóptero do presidente iraniano

Agência de Notícias da República Islâmica (Irna)/Reprodução 1 de 1 imagem colorida mostra...

Enchentes no RS afetam 2,3 milhões de moradores e causam 157 mortes

As enchentes no Rio Grande do Sul elevaram neste domingo (19) o número de...

Bahia mobiliza especialistas para auxiliar no enfrentamento das enchentes no Rio Grande do Sul

Em resposta à crise hidrológica que afeta o Rio Grande do Sul, o Estado...

Mais para você