InícioEditorialPolítica Nacional“Nosso governo", diz MST sobre gestão Lula em balanço de 2023

“Nosso governo”, diz MST sobre gestão Lula em balanço de 2023

Coordenadora do movimento elogia políticas públicas de Lula, mesmo após Stédile dizer que 2023 foi “pior ano” para assentados

Frame do vídeo do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra), publicado neste domingo (31.dez.2023) Reprodução YouTube/Movimento Sem Terra

PODER360 31.dez.2023 (domingo) – 20h27

O MST (Movimento de Trabalhadores Rurais Sem Terra) divulgou neste domingo (31.dez.2023) um vídeo com uma balanço do movimento em 2023. Ao falar sobre Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à frente do Planalto, a Coordenadora Nacional do movimento, Ceres Hadich, chamou a gestão do petista de “nosso governo”.

Em sua fala, Hadich exalta a retomada de “sinalizações” de algumas políticas públicas caras ao MST, como o Plano Safra e o PAA (Programa de Aquisição de Alimentos). Ela também fala da reforma agrária.

“Elas [as políticas públicas] são fundamentais para a gente entender que o Brasil está voltando para os eixos. Mas mais que isso, para a gente entender que o nosso país segue em permanentes disputas que vão precisar ser determinadas pela luta social”, afirma.

Hadich também diz que a militância do MST continua “desperta e organizada” para realizar um acúmulo de forças com o objetivo de “ajudar o nosso país a superar a crise para retomar o rumo de uma democracia plena”.

O balanço do movimento vem dias depois da publicação de um vídeo de João Pedro Stédile, líder do MST, em que afirma que 2023 foi o “pior ano” para famílias assentadas.

No entanto, em tom de conciliação, ele diz “compreender” a demora do governo Lula com a reforma agrária. Ele faz críticas às gestões dos ex-presidentes Jair Bolsonaro (PL) e Michel Temer (MDB) para justificar a falta de avanços de assentamentos em 2023.

“Faltaram recursos, porque o orçamento era do governo passado, e de certa forma o Estado brasileiro, com a crise e com o desmonte que houve nos 6 anos de governos fascistas, impediu que agora a máquina se voltasse para as necessidades dos trabalhadores”, afirmou Stédile.

No vídeo, a representante do movimento também menciona a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) do MST, instalada na Câmara dos Deputados em maio deste ano. Ela disse que a Comissão tentou “mentir e desmerecer mais uma vez” o processo de “luta e resistência” do movimento.

Assista (8min46s):

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Lula diz que lançará consignado para todos os trabalhadores

Em entrevista à “RedeTV!”, o presidente afirmou que mais de 40 milhões de pessoas...

Distrito Federal ultrapassa 100 mil casos de dengue em 2024

O Distrito Federal atingiu a marca de mais de 100 mil casos de dengue...

PEC que amplia isenção tributária para templos religiosos avança em comissão da Câmara

A comissão especial da Câmara dos Deputados encarregada de avaliar a Proposta de Emenda...

8 de Janeiro me preocupa mais que golpe militar de 1964, diz Lula

A 1 mês dos 60 anos da tomada de poder pelos militares, presidente declarou...

Mais para você