InícioEditorialEntretenimentoPsiquiatra explica crise de pânico que Cara de Sapato teve no BBB23

Psiquiatra explica crise de pânico que Cara de Sapato teve no BBB23

O lutador Antônio Cara de Sapato que está confinado na casa do BBB23 passou por uma noite bem difícil na última terça-feira (17/01), após ter uma crise de pânico. Confinado há poucos dias, a pressão e o estresse do jogo pode estar afetando o atleta, que durante o episódio precisou ser acalmado por sua colega de confinamento, a médica Amanda Meirelles. A coluna LeoDias conversou com o médico psiquiatra Saulo Vito Ciasca para entender como surge e qual é o tratamento para os transtornos de ansiedade e de pânico.

“Transtorno ou Síndrome de Pânico é um quadro em que a pessoa tem ataques recorrentes, repentinos, súbitos de pânico e esses ataques geram transtornos, um prejuízo sócio-ocupacional e problemas para essa pessoa. Por conta dos ataques serem muito frequentes, a pessoa pode ter medo de ter novas crises e começar evitar situações no qual ela pode sofrer um novo ataque. Por exemplo, ela está dentro de um vagão de trem e sofre um ataque de pânico dentro desse vagão, aí fica com medo de andar de novo de trem ou de andar nesse vagão”, explicou Saulo Vito.

antonio-cara-de-sapato-bbb

download

1_antonio_cara_de_sapato-22290544

antonio-cara-de-sapato-tem-crise-no-bbb23_widelg

Sintomas“Os ataques de pânicos são crises intensas de ansiedade, que causam palpitações, tremores, sensação de mal-estar grande, tem gente que tem uma sensação de morte iminente, que fica com medo de enlouquecer, tem alguns quadros dissociativos, que são quadros que acontecem quando a pessoa começa a sentir que está tudo fechando dentro dela, ou que o chão está se abrindo, uma sensação de queda livre, isso tudo é o ataque de pânico que dura entre 15 a 30 minutos e que do mesmo jeito que veio vai embora”, completou o psiquiatra.

Segundo o especialista, o diagnóstico de ansiedade ou síndrome de pânico pode ocorrer em qualquer faixa etária, mas o mais comum é começar ainda na adolescência, podendo se estabelecer com maior frequência entre 20 a 30 anos e 40 a 50 anos de idade e, assim como qualquer transtorno mental, qualquer pessoa pode ter.

Gatilhos Para Saulo Vito, pacientes com transtorno de pânico podem desencadear uma crise devido a gatilhos, porém a situação também pode surgir de forma repentina. “Muitas vezes a pessoa que tem um quadro de ansiedade e que vai juntando, juntando cada vez mais a ansiedade, ela pode estourar em um ataque de pânico, no sentido de que para algum lugar essa energia ansiosa vai precisar escoar. Então, se a pessoa por exemplo ela já não gosta de ficar em lugar muito fechado, e fica em lugar fechado, começa a hiperventilar, ela pode ter um ataque de pânico.”

“Tem crises que são do nada, eles não vêm tipo: ‘Aconteceu isso portanto eu fiquei ansioso’. Como é do nada, tem gente que vai parar no hospital achando que está infartando, achando que está passando mal, que vai morrer, que está acontecendo algo muito diferente no corpo e a pessoa fica com medo”, exemplificou.

TratamentoO médico ainda contou que existem tratamentos para a doença, podendo ser através de medicamentos ou de sessões de psicoterapia. 

“O tratamento da síndrome de pânico é uma parte farmacológica e uma parte não farmacológica. A não farmacológica consiste em psicoterapia, a gente indica muito para o pânico a terapia cognitiva comportamental, porque tem muitas evidências interessantes de resultados legais, mas qualquer processo psicoterápico pode ser bem interessante para pânico. Na parte farmacológica, a gente usa sim alguns medicamentos para reduzir a ansiedade, esses são medicamentos que vão estabilizar algumas vias cerebrais, algumas vias de neurotransmissores, que nessa estabilização a gente consegue abaixar a ansiedade e a pessoa para os ataques de pânico”, disse.

“Tem tratamento, precisa procurar o psiquiatra para se ter certeza que realmente se trata de um ataque de pânico, para se ter certeza precisamos primeiro checar o coração e ver se tem algum outro problema que esteja causando esses sintomas, retirados as causas orgânicas aí que vamos para o diagnóstico de Transtorno de Pânico”, finalizou o especialista.

Ataque de Pânico no BBB23Nas redes sociais, a equipe do atleta explicou que essa não é a primeira vez que ele tem crise de síndrome do pânico e agradece a  Amanda Meirelles por ajudar o companheiro de confinamento durante o episódio. Na edição do programa exibida na noite de quarta-feira (18), a emissora exibiu o momento que Amanda tenta acalmar o brother.

“Pra quem não sabe o Antônio, nosso Cara de Sapato, têm síndrome do pânico e já falou sobre esse assunto em entrevistas e em outras ocasiões. Um dos momentos que mais preocupava ele era justamente a hora de dormir, momento em ele sente mais, que temia que uma crise pudesse acontecer. Estamos falando de crise de ansiedade, não é o mesmo que estar ansioso. Se você sente esses sintomas, se passa por esses problemas procure ajuda médica e não passe por isso sozinho. Que sorte a nossa que a médica tava bem ali. E ali a doutora foi uma GRANDE AMIGA. Sem palavras pra agradecer a Amanda “, escreveu a equipe do atleta.

Fique por dentro!Para ficar por dentro de tudo sobre o universo dos famosos e do entretenimento siga @leodias no Instagram.

Agora também estamos no Telegram! Clique aqui e receba todas as notícias e conteúdos exclusivos em primeira mão.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Lula disse que não quer confusão na Petrobras, diz Magda Chambriard, em cerimônia de posse

“A missão dada pelo presidente foi a de movimentar a Petrobras, porque ela impulsiona...

Autor do PL do Aborto diz não abrir mão do texto, mas admite ajustes

Durante entrevista para jornalistas nesta quarta-feira (19), o deputado Sóstenes Cavalcante (PL-RJ), que é...

CCJ do Senado aprova liberação de cassino, bingo, jogo do bicho e corrida de cavalos

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou nesta quarta-feira (19) o...

Mais para você