InícioNotíciasPolíticaSuspeitos que filmaram morte de homem a pauladas debocharam da vítima

Suspeitos que filmaram morte de homem a pauladas debocharam da vítima

Cinco homens foram presos, suspeitos da morte de Raul de Souza Cunha, de 29 anos, assassinado a pauladas no último dia 30 de junho. De acordo com a Polícia Civil, o crime aconteceu no bairro Carapina Grande, na Serra (ES) e foi classificado pela corporação como “bárbaro e cruel”.

Conforme a polícia, além da violência, a morte da vítima foi filmada pelos criminosos, que debocharam da vítima e chegaram a divulgar as imagens em um grupo na interent.

Foram identificados oito envolvidos no total, incluindo três adolescentes.

Entre os presos está Felipe Almeida Santos, de 30 anos, conhecido como Carroça, apontado como liderança do tráfico de Carapina Grande. Os demais detidos são: Renan Costa de Jesus da Silva, 20 anos; Yuri Anercinio, 23 anos; Luciano Teles de Souza, 20 anos e Mateus Almeida da Silva, 22 anos.

Vítima tentou fugir das agressões Em uma coletiva, realizada na manhã dessa terça-feira (2/7), o chefe da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Serra, delegado Rodrigo Sandi Mori, afirmou que o líder do grupo filmou toda a ação e ainda divulgou as agressões, que resultaram na morte, em um grupo na internet.

“O Felipe, que acompanhou toda a execução do crime de perto, ordenou que os indivíduos espancassem a vítima até a morte enquanto filmava toda a ação criminosa com o celular, debochando da vítima que agonizava”, disse.

De acordo com o investigador, na noite do crime, o mandante reuniu os subordinados do tráfico de drogas e ordenou que fossem até a residência de Raul para matá-lo.

“Eles se armaram com pedaços de paus, um bastão de ferro e foram até a residência da vítima. Ao chegarem no local, fizeram um cerco, um dos adolescentes ficou na parte de trás e o Raul, vendo que ia morrer, saiu pulando os telhados das casas”, disse Sandi Mori.

Diante da ação, a vítima acabou caindo dentro de um galpão que estava aberto. “Nesse momento, eles se aproximaram da vítima e o agrediram com chutes, socos e pauladas. Na face da vítima, corpo e na cabeça”.

Segundo Sandi Mori, Raul era usuário de drogas e estaria sendo acusado por Carroça de roubar um ponto comandado por ele. Essa teria sido a motivação do crime.

Um dos suspeitos estava com tornozeleira eletrônica Segundo a Polícia Civil, um dos jovens que participou do crime, identificado como Renan Costa de Jesus, ajudou a matar Raul 14 dias após sair da cadeia. Inclusive, no dia do crime, ele estava com tornozeleira eletrônica.

Além disso, todos os presos já haviam participado de outros crimes. Mateus e Luciano, por exemplo, já estavam na cadeia por matarem outra pessoa no bairro André Carloni.

“O Mateus e Luciano já haviam sido presos no dia 5 e 6 de julho de 2023, após um homicídio que aconteceu no dia 6 de abril de 2023, no bairro André Carloni. Agora. eles também respondem pelo homicídio do Raul”, destacou Sandi Mori.

Segundo a Polícia Civil, os três adolescentes envolvidos no crime também já foram identificados, mas ainda não foram apreendidos. O órgão aguarda uma decisão da justiça para que eles cumpram pela em uma unidade de internação.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Mais para você