InícioNotíciasPolíticaWassef é citado em dia de depoimento à PF, após um ano...

Wassef é citado em dia de depoimento à PF, após um ano e meio “sumido”

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDFT) conseguiu citar Frederick Wassef, sobre o processo em que é acusado de cometer injúria racial contra a funcionária de uma pizzaria em Brasília, após tentar encontrá-lo no período de um ano e meio, sem sucesso.

A Justiça do DF surpreendeu o advogado na sede da Polícia Federal, quando ele esteve no local para depor sobre o caso das joias da Arábia Saudita, no último dia 31 de agosto de 2023. As informações são do processo que tramita no TJDFT e são públicas.

Segundo as investigações da PF, Wassef teria recuperado um relógio Rolex Day-Date que, após ter sido recebido pela Presidência da República, tinha sido vendido para a loja Precision Watches.

Frederick Wassef, ex-advogado da família Bolsonaro

Advogado Frederick Wassef Rafaela Felicciano/Metrópoles

Bolsonaro Advogado pessoal do presidente Bolsonaro, Frederick Wassef

Advogado de Bolsonaro, Frederick Wassef é investigado pela PF Igo Estrela/Metrópoles

Advogado pessoal do presidente Bolsonaro, Frederick Wassef durante evento palacio

Rafaela Felicciano/Metrópoles

Frederick Wassef

Advogado de Bolsonaro, Frederick Wassef, tentou isentar o ex-presidente no resgate de Rolex vendido nos EUA TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO CONTEÚDO

Bolsonaro Frederick Wassef Advogado da familia Bolsonaro

Advogado de Bolsonaro, Frederick Wassef, tentou isentar o ex-presidente no resgate de Rolex vendido nos EUA Rafaela Felicciano/Metrópoles

No DF, Wassef é acusado de dizer à atendente de uma pizzaria que ela era “negra” e tinha “cara de sonsa”. “Não quero ser atendido por você. Você é negra, tem cara de sonsa e não vai saber anotar meu pedido”, teria dito o advogado, de acordo com a acusação.

Em outro momento, no mês seguinte, Wassef foi reclamar com a mulher sobre a comida servida pela pizzaria. Após ouvir a resposta da atendente, Frederick teria a insultado: “Você é uma macaca. Você come o que te derem”.

Wassef tornou-se réu em fevereiro de 2022 e, desde então, a Justiça do DF não conseguia citá-lo sobre o caso. De acordo com Código Penal, enquanto um determinado réu não é citado em relação ao processo judicial, a ação fica paralisada.

Em 31 de maio de 2022, por exemplo, o mandado para citar Wassef não foi cumprido porque ele estaria viajando e estava em “local incerto e não sabido”.

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) fez diligências para tentar encontrar o advogado e obteve sucesso no último dia 31 de agosto, quando Wassef foi até a PF em São Paulo para depor em relação ao caso das joias, que tramita no  Supremo Tribunal Federal (STF).

Advogado de Wassef no caso do processo de injúria racial, Cleber Lopes disse à coluna que, “na verdade, como ele viaja muito, não conseguiram citá-lo, mas isso não significa que ele estivesse se furtando”. “Agora isso está superado e vamos provar a sua inocência”, afirmou.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Instabilidade na CBF não prejudica sediar Copa feminina, diz Ednaldo

Presidente da entidade retornou ao cargo por decisão liminar de Gilmar Mendes. O Brasil...

Conheça a importância dos ACE no combate à dengue em Teixeira de Freitas

Essenciais para a redução de incidência da dengue e demais doenças transmitidas pelo mosquito...

Vanessa Lopes recebe carinho das amigas após quadro psicótico agudo

Vanessa Lopes apareceu em fotografias no Instagram da mãe, Lica Lopes, nesta quarta-feira (21/2)....

Gisele Bündchen já elogiou Joaquim Valente em entrevista; saiba quem é

Os burburinhos sobre a vida amorosa de Gisele Bündchen ganharam um novo capítulo. De...

Mais para você