InícioNotíciasPolíticaComo estavam os últimos prefeitos eleitos em SP a 3 meses da eleição

Como estavam os últimos prefeitos eleitos em SP a 3 meses da eleição

São Paulo – Nas últimas seis eleições para a Prefeitura da capital, apenas dois candidatos que venceram nas urnas lideravam a corrida eleitoral a três meses do dia da votação, como o atual prefeito, Ricardo Nunes (MDB).

Nunes aparece com 24% das intenções de voto no mais recente levantamento do Datafolha, divulgado nessa sexta-feira (5/7), e está tecnicamente empatado com o deputado federal Guilherme Boulos (PSol), que marca 23%.

Levantamento feito pelo Metrópoles mostra que apenas José Serra (PSDB), em 2004, e Marta Suplicy (PT), em 2000, apareciam em primeiro lugar no Datafolha a cerca de três meses do pleito. Neste ano, o primeiro turno será no dia 6 de outubro.

Todos os últimos quatro prefeitos eleitos, incluindo o mais recente, o tucano Bruno Covas (morto em 2021), estavam atrás na disputa a esta altura da corrida eleitoral.

Posição do prefeito eleito no Datafolha a cerca de 3 meses da eleição:

2020 – Bruno Covas: 20% (2º lugar) 2016 – João Doria: 6% (5º lugar) 2012 – Fernando Haddad: 7% (3º lugar) 2008 – Gilberto Kassab: 13% (3º lugar) 2004 – José Serra: 30% (1º lugar) 2000 – Marta Suplicy: 36% (1º lugar) Histórico dos prefeitos Na primeira eleição municipal com a possibilidade de reeleição, em 2000, o então prefeito Celso Pitta (PTN) não tentou um segundo mandato – foi o único prefeito da capital que não buscou a reeleição. Ele teve a gestão envolvida em denúncias de corrupção e chegou a ter o mandato cassado por 18 dias.

Desde então, quatro prefeitos tentaram se reeleger na capital, como Ricardo Nunes, mas apenas dois conseguiram: Gilberto Kassab (PSD), em 2008, e Bruno Covas (PSDB), em 2020. Ambos chegaram à Prefeitura como vices de seus antecessores – os tucanos José Serra e João Doria, que deixaram os respectivos cargos em 2006 e 2018 para concorrer ao governo estadual.

Em julho de 2008, Kassab aparecia em 3º lugar nas pesquisas, com 13%, atrás de Geraldo Alckmin (PSDB), com 31%, e de Marta, com 38%. Covas, em agosto de 2020, apresentava 20% das intenções de votos e estava atrás de Celso Russomanno (Republicanos), com 28%.

1 de 5

O prefeito Ricardo Nunes (MDB)

Edson Lopes Jr./Secom

2 de 5

Bruno Covas (PSDB)

Reprodução

3 de 5

Fernando Haddad (PT)

Vinicius Loures/Câmara dos Deputados

4 de 5

Gilberto Kassab (PSD)

Bruna Sampaio e Carol Jacob/Alesp

5 de 5

Marta Suplicy (PT)

Governo do Estado de São Paulo

Russomanno também liderava as pesquisas de intenção de votos em julho de 2016, com 25%, quando o então prefeito Fernando Haddad (PT), hoje ministro da Fazenda, buscava se reeleger. Haddad aparecia em 4º lugar no Datafolha, atrás de Russomanno, Marta (então no PMDB), com 16%, e Luiza Erundina (PSol), com 10%.

No entanto, o vitorioso naquelas eleições foi Doria, que apareceu em 5º lugar na pesquisa, com 6%, e levou a Prefeitura da capital no primeiro turno, com 53,2% dos votos válidos.

Em 2012, não houve candidato à reeleição, já que o prefeito era Kassab, que já havia sido reeleito para o cargo. Na ocasião, ele declarou apoio a Serra, que liderava o Datafolha com 30% a três meses da eleição. Eleito naquele ano, Haddad aparecia em 3º, com 7%, atrás de Russomanno, com 26%.

Você sabia que o Itamaraju Notícias está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.

Últimas notícias

Hailey Bieber explica por que manteve gestação em segredo até o 6º mês

Hailey Bieber anunciou a gravidez em maio, com fotos e vídeos ao lado de...

Sheron Menezzes abandona gravação do Altas Horas; saiba tudo!

A coluna Fábia Oliveira contou que, nesta terça-feira (23/7), está rolando uma homenagem no...

Chocolat Festival em Ilhéus recebe 65 mil pessoas e gera R$ 25 milhões em negócios

  Realizado de quinta (18) a domingo (21), no Centro de Convenções, o Festival Internacional...

Mais para você